PAINEL: ALUNOS DA UFF NÃO SABEM QUANDO VOLTARÃO ÀS AULAS

Em meio à incerteza para o pleno início das aulas presenciais, a UFF já vê despontar vários pretendentes à disputa pela sucessão do professor Antonio Cláudio, há quatro anos exercendo o cargo de Reitor após ter sido o vice-Reitor por igual período.

A movimentação da oposição foi estimulada pela falta de avanços da atual administração que, inclusive, deixou de cumprir duas metas básicas da campanha anterior: a volta dos serviços de emergência do Hospital Antonio Pedro e a reabertura do Restaurante Universitário.

Estudantes de outros municípios e de outros Estados lamentam a falta de informações da Universidade para que possam planejar a volta a Niterói. Habitualmente, a maioria se reunia em grupos para a formação de “repúblicas”, ativando o mercado de aluguel ou de hospedagem em pensões.

A maior concentração de moradia temporária era registrada nos bairros do Gragoatá, São Domingos, Boa Viagem e Ingá, onde, face à pandemia e a ausência de aulas, existem inúmeros imóveis ociosos. Uma situação que também causa reflexos no setor comercial, especialmente nos bares, restaurantes e quiosques. O bairro de São Domingos, hoje um deserto, era tomado por multidões de alunos e de professores, tornando-o um movimentado centro de boêmia jovial.

CAMPANHA ELEITORAL PROGRAMADA EM MARÇO

O quadro de indefinição de candidaturas para 2022 permanecerá até o começo do ano eleitoral. E a clareza de nomes que estarão na disputa só ocorrerá em duas etapas marcantes: a definição da candidatura de Jair Bolsonaro; e a avaliação posterior, quanto à acomodação dos políticos nos partidos políticos, para a definição da importância de se alojar em partido de oposição ou de apoio ao atual Presidente.

O drama é maior para os candidatos a mandatos parlamentares, que precisarão escolher o melhor partido para a conquista de votos, em decorrência da inovação gerada como fim das coligações nas eleições proporcionais.

Para a Câmara Federal, das 46 vagas destinadas ao Estado do Rio, dez são ocupadas por “campeões de votos”. Estes “puxam” os melhores colocados através do sistema de soma dos votos de legendas. A grande diferença é a contagem feita pela preferência partidária, não havendo mais a miscelânea de candidatos de variados partidos, formando uma coligação válida apenas para a eleição, e que se extinguia após o pleito.

BASE POLITICA

A arrumação política será baseada no interesse da definição de cada candidato que não poderá mais ser igual ao reflexo da eleição anterior ou da composição do “Centrão” com o governo.

O atual leque partidário é formado pela influência do governo, que controla a metade dos partidos existentes. A importância dele é medida pelo número de prefeitos e de vereadores com mandatos.

O quadro de rejeição ao atual Governo e o radicalismo reinante, vão promover uma mudança no quadro de importantes filiados, com uma fase de marcantes mudanças partidárias

Quanto mais perto o fim do governo, mais favorável será a fuga da esfera oficial.

O quadro está embaralhado porque existem, pelo menos, 10 partidos anunciando que terão candidatos à Presidência República, e isto se refletirá nas eleições para governadores.

MAIS UM HOSPITAL

Se o Hospital Oceânico venceu a pandemia e se prepara para atender a todas as necessidades de assistência, o quadro para 2022 indica que Niterói passará à liderança na oferta de vagas hospitalares.

Além da ampliação a que está se submetendo o Hospital Santa Martha, está chegando ao fim a obra de ampliação do Hospital Icaraí, com um novo edifício de 13 andares, visando ofertar mais 100 leitos. A obra já chegou à cumieira, com acesso pela Rua Princesa Isabel.

Atualmente, a maior unidade de saúde privada é o HCN, ocupando quase todo o quarteirão entre as ruas Dr. Celestino, La Salle e Marques de Olinda, além de parte do promontório da Avenida Amaral Peixoto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × três =