Pacientes da rede de saúde de Niterói sentem falta de tomógrafo

Anderson Carvalho –

O aposentado Maximino Cunha, de 79 anos, está com a esposa internada no Hospital Municipal Carlos Tortelly, no Bairro de Fátima, em Niterói, após ter sofrido recentemente um AVC (Acidente Vascular Cerebral) e precisa de fazer uma tomografia. Porém, a unidade não tem um tomógrafo. Agora, ela deverá ser encaminhada ao Hospital Universitário Antônio Pedro para fazer o exame. A prefeitura está fazendo licitação para aquisição de um aparelho.

“Quando ela teve o AVC, foi socorrida no Hospital Estadual Azevedo Lima, no Fonseca. Lá tem tomógrafo. Aí precisou vir para o Carlos Tortelly e necessitou fazer uma nova tomografia. Aqui não tem o aparelho e ela está esperando ser encaminhada para outra unidade. Estamos esperando. É necessário e econômico que aqui tenha um tomógrafo”, contou Maximino.

O problema é antigo na unidade. “Há um ano fiquei aqui na emergência. Não tinha. Acho super importante ter um tomógrafo aqui para as pessoas não precisarem se deslocar para ir a outros lugares fazer esse tipo de exame”, disse a administradora Liliane Ezequiel, de 45 anos.

Na manhã da última quinta-feira, a Comissão de Saúde e Desenvolvimento Social da Câmara Municipal realizou no plenário da Casa audiência pública sobre a prestação de contas do primeiro quadrimestre de 2018 da Secretaria Municipal de Saúde. A secretária da pasta, Maria Célia Vasconcellos, não compareceu por estar em outro compromisso. Na reunião, o vereador Paulo Eduardo Gomes (PSol), membro da Comissão, lembrou que esta tem pressionado a prefeitura pela compra de um tomógrafo. Em vão.

“O resultado da pressão é zero. Só com limpeza e manutenção das unidades de saúde foram gastos R$ 29 milhões. Fizemos pesquisa e com R$ 600 mil daria para comprar um aparelho. Não tem essa quantia para comprar um tomógrafo? Apresentamos uma emenda ao orçamento que foi ignorada”, lamentou o parlamentar.

A subsecretária de Saúde, Analice Silva Martins, informou que no segundo semestre de 2019, o Hospital Carlos Tortelly vai ter um centro de imagens. “Hoje, os pacientes são encaminhados para o Huap, o Azevedo Lima e o Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo. A nossa expectativa é de que no segundo semestre do próximo ano o Tortelly tenha um tomógrafo”, contou.

Procurada, a Fundação Municipal de Saúde esclareceu que de acordo com as diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS), o município atende média complexidade, cabendo ao Estado e Governo Federal os atendimentos e exames de alta complexidade, como a tomografia. A prefeitura tem pactuaçaõ com o Huap, por meio do Plano Operativo Assistencial, em que as tomografias dos moradores são realizadas naquela unidade encaminhados pela Central de Regulação do Município. A FMS informa que está em processo de licitação um tomógrafo para ser instalado no Carlos Tortelly, como parte das instalações do futuro centro de imagens da unidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *