Orquestra Johann Sebastian Rio no Municipal de Niterói

Amanhã, às 20h, a orquestra Johann Sebastian Rio, dirigida pelo maestro e violinista Felipe Prazeres, se apresentará no Teatro Municipal de Niterói. A abertura fica a cargo da célebre Suíte Holberg, do compositor norueguês Edvard Grieg (1843 – 1907), um dos mais emblemáticos do período romântico. Em seguida, duas obras consagradas do grande compositor russo Piotr Ilitch Tchaikovsky (1840-1893): Andante Cantabile, transcrição para violoncelo e orquestra de cordas, interpretada pelo solista Marcus Ribeiro (integrante da própria orquestra); e a Serenata para Cordas, considerada uma das obras mais importantes para a formação de cordas.


O repertório faz uma homenagem ao período romântico. Afinal, o romantismo na música de concerto (1820 a 1910) foi um momento de profundas experimentações artísticas, busca de novas linguagens e discussões sobre as direções que música deveria tomar. Era o período pós Revolução Francesa, em que o indivíduo e suas emoções foram enaltecidas. O rigor formal dava espaço à busca pela liberdade e fluidez, o que resultou em obras mais complexas, grandiosas, no emprego maior de dissonâncias e na reinvenção e ampliação das formas de composição anteriores.

Há oito anos, se apresenta na série de música de câmara do Museu Vigeland, na Noruega. Representou o Brasil em Paris no ano Brasil na França, em 1996, e se apresentou na Alemanha, na Copa da Cultura, em 98. Com o Conjunto Calíope, se apresentou em Lisboa e Badajoz (Espanha). Em 2014, atuou como solista no tradicional Festival de Inverno de Campos de Jordão, com o pianista Jean Louis Steuerman. Em 2010, participou do projeto Democlássicos, idealizado por Heloisa Fischer, em que apresentava música clássica em casas noturnas com o intuito de democratizar o acesso a este estilo musical, excursionando por cinco capitais brasileiras. Desde 2011, desenvolve trabalhos mesclando a música clássica com a música popular e a eletrônica, com o objetivo de aproximar o grande público das salas de concerto.

O nome da orquestra é uma homenagem ao compositor alemão Bach e à cidade do Rio. “Sebastian” faz referência ao padroeiro São Sebastião e a palavra bach, em alemão, significa ribeiro. A Johann Sebastian Rio é uma orquestra barroca pela sua aura leve e dançante, mas também contemporânea, e Bach é um dos compositores mais emblemáticos daquele período, tão inovador que permanece atual.

A orquestra foi criada em novembro de 2014 pelo violinista e regente Felipe Prazeres, diretor artístico do grupo, pela produtora Vanessa Rocha e pelos violistas Eduardo Pereira e Ivan Zandonade, que assinam a assessoria artística. O objetivo é renovar o público da música clássica e diversificar as formas de apresentação, produzindo espetáculos sensoriais que integram música e imagem com recursos como video mapping, iluminação, design e interação com outras artes. A proposta é explorar vários espaços como galerias, parques, casas noturnas e produzir clipes e tesears irreverentes para a internet. O grupo é formado por 18 músicos, todos experientes e reconhecidos entre os principais conjuntos sinfônicos cariocas e brasileiros, integrantes da Petrobras Sinfônica, Orquestra do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Sinfônica da UFRJ, Sinfônica Brasileira e Sinfônica Nacional.

A classificação etária é livre e os ingressos custam R$ 40. O Teatro Municipal de Niterói fica na Rua Quinze de Novembro, 35 no Centro de Niterói. Mais informações pelo telefone (21) 2620-1624.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *