Operações policiais resultam em pelo menos oito mortes em Niterói

Augusto Aguiar –

Dois criminosos ligados ao tráfico morreram nas primeiras horas da manhã de ontem (16) durante confronto com policiais civis e militares que realizavam uma operação para cumprir pelo menos cinco mandados de prisão contra suspeitos que estariam por trás de uma invasão no Morro do Estado, entre o Centro e a Zona Sul de Niterói. Ao longo de quatro dias e operações realizadas nas comunidades do Complexo do Estado e no Morro do Palácio (na segunda-feira), com um morto; Complexo de Santa Rosa (quarta-feira), cinco mortos; e novamente Complexo do Estado (ontem), um morto, as ações policiais totalizaram oito mortes, além da apreensão de armas e drogas.

Na operação de ontem, além dos mortos, um menor de 16 anos foi apreendido. Drogas, um revólver, uma pistola e rádios transmissores também foram recolhidos pelos policiais. Por conta de um intenso confronto na região, a circulação de veículos na Rua Moacir Padilha foi bloqueado. Um helicóptero deu suporte à ação. O delegado titular da 76ª DP (Centro), Gláucio Paz, explicou que a operação teve por objetivo principal o cumprimento de mandados de prisão e teve participação de outros policiais civis da cidade – 78ª DP (Fonseca), 79ª DP (Jurujuba), e 81ª DP (Itaipu) – além de policiais militares do Serviço de Inteligência (P-2) do 12º BPM.

Na comunidade, ainda durante a madrugada de quinta-feira, os policiais se subdividiram. Policiais civis e agentes do Serviço de Inteligência vasculharam uma parte do Morro do Estado e militares do 12º BPM patrulharam a comunidade do Arroz, que integra o conjunto de favelas no Centro. Em determinado momento, PMs e traficantes se enfrentaram nesta comunidade e dois criminosos foram baleados e morreram. Um menor foi apreendido nesta ação. Os corpos, que estavam numa área de mata de difícil acesso, foram removidos apenas no fim da manhã de ontem. Ainda pela manhã, agentes encontraram uma mochila com manchas de sangue contendo rádio transmissor. Por conta disso, agentes vasculharam área de mata nas imediações das ruas Doutor Celestino e Fagundes Varela, acesso pelos quais estariam os corpos dos criminosos mortos no confronto.

“Durante a operação, apuramos que haveria cerca de dez suspeitos na localidade, vindos do Complexo do Salgueiro (São Gonçalo) e Morro do Cavalão (Icaraí), ligados ao Comando Vermelho (CV), e que teria pelo menos cinco fuzis e dez pistolas em poder de bandidos na comunidade. Não chegamos a cumprir os cinco mandados de prisão, mas as investigações vão continuar. Nossa missão é não deixar que criminosos do Salgueiro se fixem no local. Não vamos deixar que eles venham e comecem a mandar em Niterói. Estamos buscando e obtendo informações dos próprios presos nessas ações”, explicou o delegado.

Paz confirmou ainda que um criminoso dissidente da antiga facção que dominava o tráfico no Morro do Estado, conhecido como Boladinho, que até já teria sido preso anteriormente pela distrital, teria mudado para o CV e se aliado a outros bandidos, vindos de localidades no eixo Niterói-São Gonçalo para dominar a venda de drogas no complexo de comunidades.

Ao contrário do que se pensava e apesar de serem ligados ao CV, os criminosos envolvidos na invasão de outra comunidade vizinha ao Morro do Estado, o Morro do Palácio (no bairro do Ingá), estaria ocorrendo com criminosos vindos do Morro do Preventório (Charitas) e da Viradouro, integrante do Complexo de Santa Rosa, no bairro de mesmo nome, ambas na Zona Sul. O delegado confirmou essa tentativa de expansão da facção, sendo que aliados de outras comunidades (inclusive do Rio) forneceriam armas e “soldados” do tráfico para expulsarem os rivais, no caso remanescentes do TCP, no Morro do Estado, e ADA, no Morro do Palácio. Vale lembrar que o menor apreendido pela polícia na operação de ontem, era oriundo do município de Belford Roxo, na Baixada Fluminense.

Fuzil apreendido – Dando prosseguimento a uma sequência de ações de repressão ao tráfico, realizadas essa semana em Niterói, com objetivo de desarticular o tráfico em várias regiões da cidade, policiais militares do 12º BPM incursionaram, no fim da manhã de ontem, na comunidade da Ititioca. Houve confronto e três suspeitos foram baleados. De acordo com a PM eles deram entrada no Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), no Fonseca.

Durante a mesma incursão, militares do Grupamento de Ações Táticas (GAT) explicaram que a guarnição foi recebida a tiros assim que entrou na comunidade e, durante o revide, os PMs encontraram em seguida os três suspeitos baleados. Um fuzil, calibre 5.56, uma pistola, três granadas e material entorpecente foram apreendidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze + 16 =