Operação mira suspeitos de fraudar licitações no Estado

A Secretaria de Estado de Polícia Civil (Sepol), por meio do Departamento Geral de Combate à Corrupção e a Lavagem de Dinheiro (DGCOR-LD), realiza na manhã desta terça-feira (12) uma operação conjunta com o Ministério Público Estadual (MP-RJ) para desarticular uma suposta organização criminosa que fraudava licitações. O grupo teria sido responsável pela fraude na aquisição de papel para a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão, em maio de 2016, num contrato de mais de R$ 10 milhões.

As investigações tiveram início partir de informações encaminhadas pela Controladoria Geral do Estado (CGE), após encontrar indícios de duas empresas que poderiam estar lesando a concorrência na disputa. Com base em trabalho de investigação e análise dos dados o DGCOR-LD chegou a identificação da suposta quadrilha e do esquema que seria praticado por eles.

A ação de hoje visa cumprir seis mandados de prisão temporária e 15 mandados de busca e apreensão. Os agentes vão realizar também o bloqueio de contas bancárias dos investigados e o sequestro de bens e imóveis de luxo avaliados em aproximadamente R$ 10 milhões localizados nos municípios do Rio de Janeiro, Duque de Caixas, Angra dos Reis, Araruama e Santa Maria Madalena. Entre os imóveis estão mansões de luxo e fazendas adquiridas a partir da fraude.

Os mandados de prisão temporária são contra Walter José da Silva, Robson Portugal Silva, Valter Marques Filho, Emily Marques de Souza, Evelyn Marques de Souza e Sthefany Alves Marques. Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Criminal Especializada do Crime Organizado do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *