Operação Lei Seca completa 12 anos e a pandemia aumenta o número de embriaguez ao volante

Operação Lei Seca completa 12 anos, nessa sexta-feira (19), no Rio de Janeiro e 26 mil blitzes já foram realizadas com mais de 3,4 milhões de motoristas abordados em todo o estado. No ano passado, por conta da pandemia do coronavírus as operações foram suspensas em 18 de março e foram retomadas somente em outubro. Desde o retorno dessas ações os índices de motoristas com sinais de alcoolemia aumentaram demasiadamente. Somente nesse ano esse percentual chegou aos 9,4% enquanto a média antes da suspensão da blitz era de 4,5%.

De acordo com nota a operação conquistou a confiança da população fluminense e mudou comportamentos da sociedade. Com a retomada em outubro de 2020, estes índices chegaram a alcançar 33%, em uma ação no feriado de Finados, em São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos. Neste ano o percentual de alcoolemia está em 9,4%. Com este aumento dos flagrantes de alcoolemia, consequentemente, os acidentes de trânsito com vítimas fatais voltaram a ocupar os noticiários na imprensa. Em 12 anos, 213.229 motoristas embriagados foram retirados das ruas pela Operação Lei Seca.

“Estes números mostram que a população precisa voltar a lembrar do risco da mistura de álcool e direção. Por isso, a Operação Lei Seca é insistente, ela está nas ruas todos os dias, incansavelmente, para salvar vidas. Levamos a mensagem da educação através da história de vida dos agentes PCDs e ampliamos as equipes de fiscalização. Os nossos braços da educação e fiscalização estão juntos no propósito de mudar o comportamento da sociedade. Se conseguirmos, a cada dia, retirar das ruas motoristas embriagados, que quando pegam o volante estão assumindo o risco de matar e morrer, nossa missão foi alcançada”, frisou o secretário de Estado de Governo, André Lazzaroni.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − treze =