Operação integrada nas principais vias expressas do Estado

Militares do Exército, Marinha e Aeronáutica deflagraram nesta quinta-feira (25) uma operação de abordagem a veículos em acessos a rodovias federais e em vias expressas do Rio. As Forças Armadas estabeleceram pontos de bloqueio, controle e fiscalização em vias que são usadas por contrabandistas de armas e de drogas e que são locais de incidência roubos de carga. A operação teve apoio e a coordenação da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Força Nacional de Segurança (FNS).

As ações foram pontuais e de curta duração, o que significa que os militares não ficaram muito tempo no mesmo lugar. Entre os locais-alvos da ação das Forças Armadas estão a Rodovia Niterói-Manilha (BR-101), Avenida Brasil, e o Arco Metropolitano. Cerca de 3 mil militares das três forças foram mobilizados para a operação. A ação contou com apoio de veículos blindados e aeronaves. A ação foi coordenada a partir do Centro de Operações instalado no Comando Militar do Leste (CML), no centro do Rio, em conjunto com a Secretaria Estadual de Segurança. Na BR-101, os militares se posicionaram nos acessos da chegada ao município de São Gonçalo e no Trevo de Manilha, na divisa com a cidade de Itaboraí.

Desde as primeiras horas da manhã os agentes se deslocaram para os pontos de abordagem, e em nota o Comando Militar do Leste definiu as ações como “de curta duração”, com o objetivo de surpreender os criminosos que agem nas regiões onde foram definidas as abordagens. Com relação aos crimes de roubos de carga, a Fetranscarga informou que os produtos mais visados pelos criminosos são bebidas, alimentos, medicamentos, produtos eletroeletrônicos e autopeças.

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, afirmou ontem que será “permanente”, mas com atuação “de surpresa” a ação das Forças Armadas e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) nas principais rodovias federais do Rio. “Nós vamos agir sempre de surpresa, inopinadamente, mas que não há prazo para término, ou seja, enquanto durar essa operação de garantia da lei e da ordem no Rio, ou seja, enquanto também ao tempo deste governo, essa será uma ação permanente, em conjunto”, afirmou o ministro. Jungmann concedeu entrevista coletiva em Brasília para explicar a operação, que montou pontos de bloqueio, controle e fiscalização nas rodovias do Rio. Também participaram da entrevista o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), almirante Ademir Sobrinho, e o diretor-geral substituto da PRF, Marcelo Moreno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − sete =