Operação de Busca e Apreensão contra ex-assessores de Flávio Bolsonaro

Uma operação desencadeada nessa quarta-feira (18) visa cumprir Mandados de Busca e Apreensão em endereços ligados à ex-assessores do senador Flávio Bolsonaro, no Rio, entre os quais Fabrício Queiroz, além de miliares de Ana Cristina Siqueira Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro. A ação é resultado do trabalho investigativo que apontou indícios de que haveria a “rachadinha” (esquema de divisão de salários) no gabinete do Flávio na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), onde ele foi deputado estadual por quatro mandatos.

Durante os anos 2000, Fabrício trabalhou por mais de dez anos como segurança e motorista de Flávio Bolsonaro, o filho mais velho do presidente, e recebia da Alerj um salário de R$ 8.517 e acumulava rendimentos mensais de R$ 12,6 mil da Polícia Militar. Ele foi exonerado do gabinete de Flávio na Alerj em outubro de 2018. A Justiça autorizou, em maio, a quebra de sigilo bancário e fiscal de 96 pessoas e empresas. A investigação teve início em 31 de julho do ano passado, após o antigo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), Unidade de Inteligência Financeira) forneceu um relatório ao Ministério Público (MP) apontando movimentação financeira de Queiróz da ordem de R4 1,2 milhão num intervalo de um ano entre 2016 e 2017.

Até julho desse ano o caso esteve parado, aguardando posicionamento do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a legalidade do compartilhamento dessas informações sem autorização judicial. Ao todo, na ocasião, 96 pessoas e empresas foram alvo da decisão da 27ª Vara Criminal do Rio.

Investigados no Rio: Fabrício Queiroz, ex-motorista e ex-chefe de segurança de Flávio Bolsonaro; Resende; Nove parentes de Ana Cristina Siqueira Valle, ex-mulher de Bolsonaro, lotados no gabinete de Flávio entre 2003 e 2018; José Procópio Valle, ex-sogro de Bolsonaro; Andrea Siqueira Valle, ex-cunhada de Bolsonaro; Francisco Diniz, primo; Daniela Gomes, prima; Juliana Vargas, prima; Guilherme dos Santos Hudson, tio; Ana Maria Siqueira Hudson, tia; Maria José de Siqueira e Silva, tia; e Marina Siqueira Diniz, tia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 − 2 =