Operação contra ladrões de carga na BR-101 e traficantes em SG

Vítor d’Avila

Comunidades de São Gonçalo foram alvo de operação da Polícia Civil, na manhã de ontem, para prender acusados de roubos de carga na Rodovia BR-101. Batizada com o “Estrada Segura”, a ação prendeu nove pessoas e contou com apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Guarda Municipal de São Gonçalo.

De acordo com a 74ª DP (Alcântara), que coordenou a ação, pelo menos nove suspeitos foram presos, sendo cinco em cumprimento de mandado e quatro em flagrante, e motos roubadas recuperadas. Ao todo, os agentes buscavam cumprir 24 mandados de prisão em três comunidades. São elas Brejal, Apollo e Viúva.

Ainda de acordo com a distrital, os alvos da ação tem envolvimento com o tráfico de drogas e assaltos com privação de liberdade. Drogas e armas também foram apreendidas durante a operação de ontem. O delegado Lauro Rangel, titular da distrital, explicou sobre os objetivos e a motivação da operação.

“Na nossa circunscrição são comunidades que margeiam a RJ-104 e a BR-101. Essas comunidades, por terem acesso a essas rodovias, os marginais utilizam desse expediente para roubar carga e motoristas que estão viajando e retornam para o interior das comunidades”, explicou.

A operação também teve como objetivo apreender veículos irregulares que são usados nos deslocamentos dos acusados, reprimir a atuação de mototaxistas associados ao tráfico de drogas e retirar barricadas que, segundo a polícia, impedem o direito de ir e vir dos moradores da região.

“Além da venda de drogas eles usam os roubos para aumentar as receitas do tráfico e se fortalecer. Essa é a segunda ação desse tipo que estamos fazendo para combater essa prática. Os criminosos costumam utilizar as vias que não são oficiais e clandestinas, que a comunidade faz, para acessar a rodovia. Os roubos de carga eles conseguem se desfazer da carga dentro da própria comunidade”, frisou o delegado.

Ainda de acordo com Rangel, as cargas mais cobiçadas pela organização criminosa são as de gêneros alimentícios e de produtos eletrônicos. De acordo com o delegado, os produtos roubados são utilizados para abastecer os comércios das comunidades investigadas. Cabe ressaltar que os produtos também são distribuídos para comunidades de regiões vizinhas.

“São os estabelecimentos que compram essas cargas, só que é uma carga de difícil rastreio. Normalmente alimentos, eletrônicos, bebida, carne, é o que o tráfico costuma roubar. Hoje em dia estamos desenvolvendo um trabalho muito sério em cima dos bailes que acontecem na comunidade e a gente percebe que muitas dessas mercadorias são usadas para promover esses bailes, que são verdadeiras propagandas do tráfico de drogas”, explicou Rangel.

Aproximadamente 150 agentes das Polícias Civil e Rodoviária Federal, além de Guardas Municipais, participaram da operação. Foi feita a utilização de 40 viaturas, que realizaram diligências até o final da manhã. De acordo com o delegado, não houve registro de confrontos e a operação foi considerada um sucesso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze − 10 =