Operação conjunta na Zona Sul

Augusto Aguiar

“Esse é o segundo passo no sentido de implementar as ações integradas em vários pontos de Niterói. Após uma reunião, acertando detalhes, essa é a primeira ação desencadeada em terreno”, afirmou, na manhã de sexta-feira, o coronel Gilson Chagas, secretário municipal de Ordem Pública, referindo-se a uma operação integrada das polícias Civil, Militar e da Guarda Municipal na região onde estão situadas as comunidades que compõem o chamado Complexo de Santa Rosa. Desde as primeiras horas da manhã, diversas viaturas vindas do 12º BPM e das delegacias policiais da região percorreram e vasculharam comunidades como a Souza Soares, Viradouro, Igrejinha e Beco do 600, entre outras.

Houve troca de tiros, mas que não resultou em feridos. Um menor infrator, de 17 anos, foi apreendido com drogas, um rádio transmissor e uma pistola, sendo autuado na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA). “A partir de agora, cada um vai fazer um pouco. O momento mais crítico dessas operações é quando a polícia chega na localidade. Para evitar ocorrências de balas perdidas e para preservar a segurança dos pedestres e motoristas, é que a Guarda Municipal também está atenta, atuando nessas regiões, orientando o trânsito, se necessário interditando e informando a população a evitar essas áreas de operação”, explicou o coronel Paulo Henrique, do Gabinete de Gestão Integrada. Na operação conjunta, que marca também a chamada ação com a filosofia de “polícia de proximidade”, o comandante do 12º BPM, coronel Márcio Rocha, afirmou que esse trabalho será intensificado com a proximidade das festas de fim de ano.

“Durante a chamada Operação Papai Noel vamos repetir ações como essas com vistas de reprimirmos a incidência de roubos a comércios e a transeuntes. Já estamos inclusive vislumbrando tendência de queda. Na operação de hoje (ontem), contamos com 60 policiais militares e 10 viaturas, a Guarda Municipal com 32 agentes, além de agentes das DPs da região e apoio do 7º BPM (São Gonçalo). Toda vez que agirmos com ações integradas, conseguiremos maiores resultados. Efetivamente”, explicou Márcio Rocha, acrescentado que blitz integradas também estão programadas para diversos pontos da cidade nos próximos dias. Para ele, efetivamente as ações integradas na cidade passarão a ser desenvolvidas, sendo que cada órgão de segurança terá suas atribuições específicas.

Gilson Chagas revelou ainda que técnicos do município estão trabalhando no sentido de integrar as câmeras de segurança (ligadas ao Cisp), instaladas na Ponte Rio-Niterói, à base de dados da Polícia Civil do Rio. Esse trabalho estará finalizado nos próximos dias. Anteriormente, a Polícia Civil havia alegado a “momentânea” impossibilidade de integração à base de dados devido ao momento de crise financeira. Outras dezenas de câmeras do Cisp e ONG Viver Bem já monitoram diversos pontos da cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − cinco =