Operação apreende arma em cracolândia da Zona Sul

Wellington Serrano

Guardas municipais realizaram na tarde de ontem uma operação de combate ao tráfico de drogas no prédio conhecido como Cracolândia, em Icaraí, na Zona Sul de Niterói, com a participação de psicólogos, assistentes e agentes da Secretaria de Assistência Social. Em menos de um mês essa é a segunda operação que acontece na saída do túnel Raul Veiga.

Nenhum morador foi detido na cracolândia. Pouco antes da ação, os ocupantes do imóvel perceberam a presença dos guardas, começaram a recolher seus pertences e fugiram. Por volta das 16h30min, dezenas de guardas tomaram a residência e encontram um revólver calibre 38 e armas brancas, como facas e estiletes.

Segundo o coordenador de ações táticas da Guarda, Paulo Brito, os usuários não coordenam a venda de crack e maconha, respectivamente, na cracolândia do túnel e na antiga casa de aluguel de fantasias, que está abandonada também em Icaraí, mas cometem pequenos delitos para sustentar o vício.

“Vamos incluir a residência abandonada no roteiro da Coordenadoria de Assistência Social (CAS) e, em conjunto, tomar as providências”, disse o coordenador.1 - _MAF4415

Um morador que não quis se identificar disse que na residência havia festa e gritaria regadas a drogas. “Eles (os usuários) queimam muito lixo no local. O cheiro é insuportável, já vi algumas vezes famílias da vizinhança sendo abordadas e ameaçadas na calçada”, lamentou.

João Rodrigues, de 76 anos, que é morador há sete anos na Avenida Roberto Silveira, contou que os usuários prejudicam até o comércio. “Eles ficam na porta do mercado e dos bancos pedindo e ameaçando as pessoas. Alguns são violentos e outros falam sozinhos e viajam na própria onda incomodando com conversas sem sentidos”, contou o aposentado.

O vereador Sandro Araújo (PPS) acompanhou a operação e ressaltou que o importante é continuar no local até equacionar a situação. “Vamos vir aqui direto para fiscalizar. A nossa função é essa. O poder público está aqui para fazer valer a sua presença, isso não é nem questão de autoridade e, sim, de manter a ordem vigente. Aqui não é uma questão policial de fato. Vamos encaminhar as pessoas para tratamento na Secretaria de Assistência Social”, afirmou.

A Secretaria irá oferecer aos adultos serviço de retirada de documentos para encaminhar para o mercado de trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + nove =