Ônibus intermunicipais poderão ser monitorados via satélite

Augusto Aguiar –

Os coletivos que atendem linhas intermunicipais e tenham mais de 20 lugares deverão ter equipamentos para que sejam rastreados via satélite e possam ser monitorados remotamente. É o que determina o projeto de lei 603/15, do deputado Milton Rangel (DEM), que a Assembleia Legislativa do Estado do Rio votou ontem, em segunda discussão. A proposta determinou ainda que o equipamento tenha um “dispositivo de pânico”, que o motorista possa acionar em caso de emergência. O sistema também deverá permitir a comunicação entre o veículo e a empresa responsável e será integrado a uma central de monitoramento em contato direto com os órgãos de segurança.

Segundo o texto, as companhias que operam o transporte coletivo deverão ser responsáveis pelo custo, implantação e gerenciamento do sistema de vigilância. O poder público deverá ter acesso às informações. A regra vale também para outros serviços intermunicipais, como as barcas e trens.
“Esse projeto é de muito interesse da população. A inspiração veio daquele período em que vimos aqueles arrastões nos ônibus, com assaltos e destruição dos veículos na cidade do Rio. Mas atende aos intermunicipais de todas as modalidades. Podemos, por exemplo, monitorar em tempo real nossas barcas para combater roubos e problemas como incêndios”, argumenta o deputado.

Alguns ônibus, como da Viação Nossa Senhora do Amparo, grande alvo de criminosos, são equipados com GPS, que possibilita identificar o local onde o veículo está. Até os passageiros têm acesso a esta informação através de um aplicativo, no qual é possível identificar qual ônibus está para passar no ponto onde ele está.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete + 19 =