Ocupação de UTI’s em Niterói cresce quase 30% em 12 dias

Como aponta o painel para Acompanhamento dos Casos de Coronavírus no município, que está atualizado até o dia 6 de março, a taxa de ocupação em UTI’s era de 44,8% e a de enfermaria estava em 33,9%. Já na quinta-feira (18), a Prefeitura informou que a taxa de ocupação aumentou para 72,8% Ou seja, um aumento de 28% nas internações. Já pelo monitoramento da Secretaria de Estado de Saúde (SES) o Painel Coronavírus-Covid-19 mostra que Niterói está com 76% de ocupação dos leitos da rede estadual. A única taxa que deveria aumentar, mas caiu neste período, foi a do isolamento social, que era de 34% e na última quarta-feira (17) estava em 32,4%.

A cidade alcançou 9,38 pontos na tabela de indicadores da pandemia: o pior índice desde junho de 2020. Caso o indicador alcance dez pontos, o município sobe para o estágio Laranja, restringindo ainda mais atividades e serviços, conforme previsto no plano de transição estabelecido pela prefeitura em maio do ano passado.

Na listagem de proibições do estágio Laranja está suspenso o funcionamento de cinemas, bares, restaurantes, bufê, teatros, clubes, academias, igrejas, praças, comércio de rua e shoppings.

O secretário de saúde, Rodrigo Oliveira, disse que os números comprovam o acerto de não esperar a situação piorar para tomar as medidas de restrição de circulação. O secretário lembrou que em dez dias, o Hospital Municipal Oceânico saiu de 63 para 93 internados.

Já no Hospital Municipal Carlos Tortelly a situação está mais crítica desde quarta-feira (17) e o Centro de Terapia Intensiva (CTI) da unidade está todo ocupado.

“A situação é muito preocupante e isso é muito flutuante pois em questão de horas tudo pode mudar. Mas a possibilidade da gente não ter onde internar nossos parentes é angustiante”, contou a dona de casa Kátia Silva, 52 anos.

OUTRAS CIDADES

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) divulga diariamente o Painel Coronavírus-Covid-19 com informações sobre mapa de risco, casos, regulações e ocupações de leitos nos 92 municípios do Rio de Janeiro da rede estadual de saúde. E com essa nova onda de contaminação a situação está mais grave em 13 cidades já estão com 100% de ocupação dos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). Esse é o caso de: Bom Jesus Do Itabapoana, Duas Barras, Itaperuna, Mendes, Miguel Pereira, Paraíba do Sul, Rio das Ostras, Santa Maria Madalena, São José Do Vale Do Rio Preto, Sapucaia, Sumidouro, Teresópolis e Vassouras.

As cidades que estão com todos os leitos ocupados possuem as seguintes quantidades: Bom Jesus Do Itabapoana (40), Duas Barras (5), Itaperuna (10), Mendes (3), Miguel Pereira (10), Paraíba do Sul (10), Rio das Ostras (11), Santa Maria Madalena (1), São José Do Vale Do Rio Preto (2), Sapucaia (5), Sumidouro (5), Teresópolis (23) e Vassouras (50). Já em relação as enfermarias para pacientes com Covid-19 as cidades de Aperibe (10), Engenheiro Paulo de Frontin (5), Magé (15), Nova Friburgo (22), Paracambi (16), Petrópolis (63), Santa Maria Madalena (6), Sapucaia (4) e Teresópolis (33) estão com esses espaços com lotação de 100%.

A situação pode ser ainda mais grave já que alguns municípios estão sem atualização no Painel. Na Região Metropolitana a cidade de Niterói aparece com 27% dos leitos de enfermarias lotados (81 vagas) e 76% de UTI com 113 vagas; São Gonçalo tem 54% de enfermaria com 84 vagas e 73% de lotação em UTI com 51 vagas; Rio Bonito tem 50% dos leitos de enfermaria com 10 vagas e 60% dos leitos de UTI ocupados com 10 vagas; Maricá aparece com 97% de leitos da enfermaria ocupados com 38 vagas e 67% dos leitos de UTI com 48 vagas; e Itaboraí não tem os índices de enfermaria, somente de UTI com 53% de ocupação em 17 leitos.

Camilla Galeano e Raquel Morais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 + nove =