Obras na Contorno atrasam e trânsito piora

Raquel Morais

Mais um ‘mesversário’ será comemorado no próximo dia 9, mas dessa vez o evento não terá comemorações. Na próxima terça-feira completa três meses do incêndio no viaduto na Rua Monsenhor Reader, no km 321 da BR-101, na altura da Avenida do Contorno. A concessionária está com equipes trabalhando na recuperação do local, além de manter o uso da faixa reversível para veículos pesados. Mas as alternativas não são suficientes e os motoristas cobram a normalidade da via, que está com cronograma de entrega atrasado desde o mês passado e sem previsão de novas datas para finalização.

Em fevereiro, a Arteris Fluminense informou que seriam necessários 45 dias, contados a partir do dia 5 daquele mês, para ‘adorar procedimentos técnicos e legais cabíveis para diagnosticar os problemas, elaborar o projeto de engenharia e iniciar a recuperação da estrutura”. Segundo planejamento da concessionária feito na época, a data prevista seria 21 de março, mas a empresa informou que ‘precisou elaborar um novo cronograma de intervenções visando a conclusão das obras de recuperação do viaduto. Os procedimentos adicionais à estrutura para uma concretagem complementar estão em curso e uma nova data para interdição da via será informada tão logo seja definida com a ANTT e Polícia Rodoviária Federal’.

Estruturas metálicas estão sendo construídas embaixo do viaduto, na altura do Buraco do Boi, no terreno onde aconteceu o incêndio. O trânsito continua congestionado no local, principalmente em horários de pico. Os motoristas usam duas faixas de rolamento, principalmente para os veículos leves. Já os pesados e caminhões devem usar a reversível, que tem 1,5 quilômetro de extensão.
A concessionária ratificou ‘seu compromisso em concluir a recuperação do dispositivo no menor prazo possível. Desde o incêndio no viaduto, causado por terceiros, a empresa adota medidas para garantir a segurança dos usuários, minimizar riscos e impacto ao tráfego na via’.

RELEMBRE O CASO
No dia 9 de janeiro um incêndio embaixo do viaduto na Rua Monsenhor Reader deixou uma faixa de rolamento e o acostamento da pista sentido Niterói interditados, além da proibição do tráfego de caminhões e veículos pesados pelo local. O viaduto tem 60 metros de extensão e ficou com 500 metros de interdição. Moradores do entorno do local afirmaram que a prática de queimar entulho e lixo é comum no local. Na ocasião, o fogo se alastrou em grandes proporções, inclusive atingindo veículos abandonados. O estrago comprometeu a parte superficial da base do viaduto e as ferragens ficaram expostas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *