Obra prevista para a Rua das Pedras gera revolta entre comerciantes

A pandemia do novo coronavírus literalmente parou o mundo. Praticamente todos os setores da economia se viram obrigados a paralisar suas atividades para respeitar o distanciamento social. Em Armação dos Búzios, na Região dos Lagos, não foi diferente. A cidade parou e, recentemente, a flexibilização tornou possível que o comércio reabrisse. Porém, um ponto turístico importante da cidade está no meio de uma polêmica. Tudo porque o prefeito André Granado (MDB) abriu licitação para realizar obras na Rua das Pedras entre setembro e janeiro. O local é o mais movimentado do Centro da cidade.

A Prefeitura de Búzios realizou licitação na última quinta-feira (27), deixando comerciantes e empresários perplexos. Os proprietários dos estabelecimentos alegam que não foram consultados sobre a intervenção que o prefeito, que está a pouco mais de três meses do fim de seu segundo mandato, pretende fazer no local.

“Recebemos com muita perplexidade a notícia de que o prefeito pretende realizar uma obra na Rua das Pedras logo agora que estamos numa suposta retomada do comércio após o fechamento devido à pandemia. Fomos pegos de surpresa”, disse o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Búzios (ACEB), Jacques Sitbon, conhecido com Jacky.

O grande questionamento dos comerciantes da cidade é a legalidade da obra. Isso porque a Rua das Pedras é tombada desde que a Lei nº 8324/2019 foi promulgada. Com o tombamento, a Prefeitura não pode realizar intervenções sem consultar o Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac).

“Essa rua tem história. A história de Búzios. Quando tomamos conhecimento de que era tombada, nos deu um conforto, um alívio. Por isso, ingressamos na Justiça para impedir esse verdadeiro absurdo”, declarou.

Jacky lembra que a ACEB solicitou em 2010 que fossem feitas melhorias na Rua das Pedras, nunca realizadas.

“Moro há 27 anos na Rua das Pedras e não há manutenção há 20 anos. Agora que a rua é tombada o prefeito quer mexer. Se for preciso me colocarei à frente das máquinas para que não toquem na rua”, declarou.

A preocupação dos comerciantes é que a obra descaracterize a mais famosa rua de Búzios.

“Sabemos que uma obra como o prefeito quer fazer nunca fica com o mesmo desenho. Ele quer retirar as pedras, nivelar a rua com a calçada e recolocá-las. Sem falar que, desse jeito, não haverá escoamento. Quando chove forte alaga tudo”, uma comerciante que não quis se identificar por medo de represália do prefeito André Granado.

A comerciante questionou também o momento em que o prefeito decidiu realizar uma intervenção na via.

“Nós, comerciantes, estamos economicamente com a corda no pescoço. Muitos fecharam de vez, outros como eu tiveram que demitir funcionários. Por que não fez a obra, após audiência pública, quando a cidade estava fechada?”, indagou.

A dona do estabelecimento afirmou que a obra prejudicará também as ruas paralelas e o entorno da Rua das Pedras.

“Muita gente será prejudicada com essa obra. Temos outros bairros que precisam muito mais de obras que aqui. Mas esse prefeito quer encerrar seu governo com um legado. Só que essa obra não vai terminar no prazo”, declarou.

A Prefeitura de Búziso foi procurada, mas não retornou os contatos até o fechamento desta edição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *