O que assistir na Netflix e no Amazon Prime no feriado de Corpus Christi

Boas opções não faltam quando o feriado se aproxima. Algumas pessoas pegam a estrada e vão viajar com a família, outros preferem ir à praia ou visitar museus e pontos turísticos do Rio e há ainda os que preferem ficar em casa assistindo filmes, shows e documentários.

Pensando nisso, A TRIBUNA selecionou shows e documentários que estão disponíveis no Netflix e na Amazon Prime. Confira abaixo os shows imperdíveis que você pode assistir na íntegra:

Los Hermanos – Na Fundição Progresso (2007)
Se é para tocar sucessos, que sejam tocados na Fundição Progresso, no Centro do Rio, como fizeram os Los Hermanos em uma apresentação memorável.

Capital Inicial – Multishow ao vivo (2008)
Filhos de Brasília, os músicos do Capital Inicial escolheram a cidade para tocar pela primeira vez ao vivo. O resultado é um showzaço.

Foo Fighters – Live at Wembley Stadium (2008)
Intensidade é o que não falta nessa apresentação no Estádio de Wembley, em Londres, da banda de rock americana formada em 1994, em Seattle, Washington.

John Mayer – Where the Light Is (2008)
A apresentação acabou se transformando em um show-documentário quando John Mayer pisou no Nokia Theater de Los Angeles, em 2007.

Celine Dion – Taking Chances World Tour (2009)
A voz canadense do Titanic realiza a 11ª turnê mundial na carreira em um tour que aconteceu de fevereiro de 2008 a fevereiro de 2009.

Vanessa da Mata – Multishow ao vivo (2009)
A Multishow sempre teve bom gosto e boas escolhas, como Vanessa da Mata, que se apresenta na cidade histórica de Paraty, Rio de Janeiro.

Victor & Leo – Ao vivo e em cores (2009)
São Paulo foi a cidade escolhida por Victor & Leo para cantar os maiores sucessos da carreira.

Beyonce – I Am… World Tour (2010)
Um milhão de pessoas, entre março de 2009 e janeiro de 2010, assistiu extasiada a performace de Beyoncé, que no palco, performa ela mesma em Sasha Fierce, terceiro álbum da carreira.

Skank – Rock in Rio 2011
Samuel Rosa e os rapazes do Skank estão impossíveis nesta apresentação da banda mineira na 3ª edição do Rock in Rio.

Jota Quest – Rock in Rio 2011
Os mineiros do Jota Quest realizaram uma apresentação inesquecível e uma das mais empolgantes do Rock in Rio de 2011.

One Direction – Up All Night – The Live Tour (2012)
O primeiro álbum dos garotos ingleses está registrado nessa primeira turnê na Netflix.

Natiruts – Acústico no Rio de Janeiro (2012)
Pela primeira vez em formato acústico, a banda brasileira de reggae Natiruts dá um show nesta apresentação ao vivo.

Já o Amazon Prime Video disponibiliza documentários que abordam natureza, futebol, questões humanitárias, alimentação, música e traumas. Veja alguns deles:

Stop Making Sense (1984)
Resultado de quatro shows realizados pelo grupo Talking Heads em Los Angeles, em 1983, este documentário é produzido pelo então iniciante Jonathan Demme (1944-2017), que venceria o Oscar de melhor diretor no filme O Silêncio dos Inocentes, de 1992. Estilos musicais que misturam rock, punk e new wave ganham força neste trabalho cinematográfico.

Standing in The Shadows of Motown (2002)
Vencer preconceitos e quebrar barreiras. Isso foi possível graças ao estúdio Motown, que deu voz a artistas negros que conquistaram visibilidade na história da música. Nomes como Stevie Wonder, Marvin Gaye, Diana Ross e os conjuntos The Temptations e The Supremes são mostrados neste documentário do diretor Paul Justman que passeia pelos estilos musicais como soul, funk e R&B.

Super Size Me (2004)
Usar o próprio corpo para servir de cobaia para expor os males que a comida industrializada poderia causar na vida das pessoas é o que chama a atenção neste trabalho intitulado Super Size Me. Por um mês, o diretor desta obra passou comendo apenas itens do cardápio do McDonald’s em três refeições por dia. Entre gráficos, pesquisas e análise de dados, o diretor questiona com propriedade a força da cultura dos fast foods pouco saudável na vida das pessoas.

Humano – Uma Viagem Pela Vida (2015)
Conflito, pobreza e homofobia são temas que o diretor, fotógrafo e ambientalista francês Yann Arthus-Bertrand abordou ao viajar o mundo para ter as próprias percepções e dar ouvidos para boas histórias. É possível notar nas mais de 60 entrevistas em países diferentes contidas neste documentário, experiências pessoais de homens, mulheres, crianças, adolescentes, idosos, trabalhadores rurais, ex-combatentes de guerra, nômades, aborígenes e refugiados, apenas para citar algumas figuras.

Make Us Dream (2018)
O diretor Sam Blair com ousadia mostrou os dois lados da vida do britânico Steven Gerrard, estrela do futebol da Inglaterra entre os anos 2000 e 2010 e é considerado uma das maiores figuras da história da equipe do Liverpool, onde atuou entre 1998 e 2015. As glórias, títulos, frustrações e derrotas são um prato cheio para dramas positivos e negativos neste documentário.

One Child Nation (2019)
As cineastas Nanfu Wang e Jialing Zhang dividem a direção deste documentário que tem como pano de fundo os problemas no país asiático e a política entre os anos de 1979 a 2015. O longa explora outros temas como a lei e os impactos na vida da população na questão de administrar o dinheiro.

Rewind (2019)
Com uma sensibilidade à flor da pele, Rewind pode ser visto de tal maneira em que as cenas venham se transformar em um gatilho emocional para quem sofreu abuso sexual na infância. O diretor Sasha Neulinger faz do drama pessoal, um universo paralelo, no qual o tema ganha forma e força para enfrentar o trauma e lembranças vivas na mente.

Sharkwater Extinction (2019)
Tubarões sempre causaram medo e existe uma preocupação pela diminuição da espécie, como retrata o documentário Sharkwater Extinction, no qual o diretor e ambientalista Rob Stewart (1979-2017) revela seu amor pela espécie e ao mesmo tempo alerta sobre a caça ilegal e a matança brutal por conta dos humanos. O documentarista explica que os tubarões foram dizimados cerca de 90% nos últimos 30 anos. O ponto alto fica pela morte dramática de Stewart durante um dos mergulhos no meio das gravações.

Time (2020)
Superações. Assim podemos descrever Fox Rich. Negra, ela luta contra os desafios de criar sozinha os filhos enquanto a Justiça avalia a prisão do marido dela, condenado a 60 anos por roubo realizado na década de 1990. No entanto, de tantos e tantos obstáculos enfrentados por essa mulher, o mais difícil foi vencer o preconceito. O filme concorreu ao Oscar de melhor documentário na edição de 2021 do mais prestigiado prêmio do cinema internacional.

Val (2021)
Ator dos filmes Top Gun: Ases Indomáveis (1986), The Doors (1991) e Batman Eternamente (1995), Val Kilmer dá nome a este documentário. A relação dele com as câmeras e a vida pessoal são os pontos mais abordados na obra e revela o lado poético do biografado de 62 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.