O fim do Windows 7, o “ficha limpa” da Microsoft

Os usuários do Windows 7 começaram a ficar preocupados a partir deste mês de janeiro de 2020. O excelente sistema operacional, um dos melhores lançados pela Microsoft, super estável, muito amigo do usuário, com pouquíssimas “telas azuis”, teve o seu prazo para suporte, segurança contra vírus e atualizações encerrado pela Microsoft no dia 14/01/2020, como avisou durante o ano de 2019.

Os muitos e muitos felizes usuários terão, com lágrimas nos olhos, que mudar o seu sistema operacional para o pesado, chato e cheio de idas e vindas que é o Windows 10.

É lamentável. Afinal, o Windows 7 sempre atendeu muito bem aos consumidores porque o seu desenvolvimento foi um tremendo acerto da Microsoft. Um dos poucos sistemas lançados pela multinacional, já que muitas versões foram verdadeiros fiascos como o Windows Milenium, Vista e 8.

Ferramenta imprescindível para o consumidor que usa computador, o sistema operacional Windows 7 trazia algo que o hoje pesado Windows 10 não consegue oferecer: confiabilidade. Todo mundo hoje trabalha de frente para um computador e em mais de 84% dos casos é o Windows o sistema operacional em uso. Os outros 16% ficam por conta da Apple, Linux e etc.

Há uma espécie monopólio branco, pois se trata de opção do consumidor e não uma imposição do mercado. Isso porque, para a alegria dos consumidores, o Win 7 jamais precisou de, digamos, um recall. Sempre foi estável ficando melhor ainda depois de atualizado com o importante chamado de Service Pack 1 ocorrido em 2011.

Para alívio dos consumidores, o histórico de processos judiciais contra a Microsoft está pulverizado entre o sistema para celulares Windows Phone, o videogame Xbox e outros. Na verdade, com a pesquisa que fiz por amostragem não consegui constatar a presença do sistema operacional Windows como causa de reclamação nos 296 processos existentes nos Juizados Especiais Cíveis do Tribunal de Justiça do Rio, nos últimos 10 anos.

Para uma empresa que se encontra em praticamente todos os lares e escritórios, a Microsoft é pouco procurada no judiciário, sinal de razoável respeito pelo consumidor.

A retirada de cena do Windows 7 é sabida desde o seu lançamento. O suporte dura 10 anos para esse tipo de produto. Não há o que reclamar. Migrar para o Windows 10 me parece uma tarefa inevitável para os felizes usuários do Win 7. O mesmo aconteceu com o também saudoso Windows 98 SE.

Eu mesmo usei o Win 98 até não dar mais e acabei dando um salto para o Windows 7, que agora perdeu seu suporte e atualizações. Estou triste, mas não indignado. Evoluções são necessárias.

Com sinceridade, acredito na necessidade da evolução em todos os setores da vida moderna. Assim como o direito é uma ciência super dinâmica, a informática e tecnologia também mudam e avançam a cada segundo.

Adeus amigo Windows 7!

Direito do Consumidor

Fernando de Farias Mello

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *