Novo presidente da Fecomércio toma posse dia 25

Wellington Serrano –

Combate à informalidade e à elevada carga tributária. Esses são os principais objetivos do empresário Antônio Florêncio de Queiroz Júnior, de 60 anos, que toma posse na tarde da próxima segunda-feira, na sede da Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ), no Flamengo (RJ), em reunião com a diretoria.

Eleito no último mês, ele tem 40 anos de experiência na área. Seu compromisso é fortalecer a instituição e priorizar a defesa dos interesses dos setores de comércio de bens e serviços do Estado do Rio de Janeiro.

Formado em Economia e Administração pela Faculdade Cândido Mendes, no Rio, além de ter se especializado em Iluminação no Instituto Thomas Alva Edison, da General Eletric, em Cleveland (USA) Antônio tem, também, especialização em Gestão Empresarial/Marketing e Técnicas de Vendas pela Fundação Getúlio Vargas.

Queiroz disse que sua gestão vai lutar pelo comércio de bens, serviços e turismo que representa o setor econômico mais importante do Estado do Rio de Janeiro ao reunir 219 atividades econômicas, em torno de 350 mil estabelecimentos, que representam mais de 60% das empresas fluminenses, o setor gera cerca de 2 milhões de empregos formais, que equivalem a 42,6% dos postos de trabalho formais no estado.

“Neste contexto, a Fecomércio-RJ está comprometida a desenvolver e apoiar ações que viabilizem soluções alinhadas às vocações de cada região fluminense, colaborando no enfrentamento dos desafios impostos pelo atual momento econômico do Brasil e do Estado do Rio de Janeiro”, disse o presidente.

Segundo ele, a nova diretoria vai promover uma reorganização da Federação com o compromisso de desenvolver, junto aos 59 sindicatos associados, uma agenda que fortaleça e dê sustentabilidade aos negócios, mantendo a abrangente capacidade de geração de emprego e renda do Comércio de Bens, Serviços e Turismo no Estado do Rio de Janeiro.

“A Fecomércio-RJ tem um papel preponderante junto à economia fluminense, pois representa um setor que é o maior gerador de empregos do Estado do Rio. A responsabilidade sobre micro e pequeno empresário e sua sobrevivência, o combate à informalidade e à desordem urbana, além da constante luta contra a elevada carga tributária estão entre as nossas prioridades”, destaca o novo titular da Federação do Comércio do Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × cinco =