Novo e PT decidem pela neutralidade no segundo turno

Anderson Carvalho –

Tendo obtido 86.820 votos no primeiro turno da eleição para o Governo do Estado, Marcelo Trindade (Novo) anunciou ontem que ficará neutro no segundo turno, sem apoiar nem Eduardo Paes (DEM) nem Wilson Witzel (PSC). O Novo divulgou ontem nota informando do posicionamento, também de neutralidade. Também ontem Paes recebeu apoio formal do PDT.

“O Novo do Rio de Janeiro obteve importantes vitórias em 2018, com um desempenho histórico nestas eleições gerais. Elegemos dois deputados estaduais e um federal, destacando-se sobre partidos tradicionais do Rio de Janeiro e sinalizando com nossa performance uma verdadeira renovação nas bancadas parlamentares fluminenses. Conquistamos votações em todas as zonas eleitorais do Estado sem o uso de recursos públicos, coligações e defendendo com convicção nossos valores e princípios. (…) O Novo não apoiará nenhum candidato ao Governo do Rio de Janeiro no segundo turno das eleições, ressalvando a sua independência em relação aos dois projetos que se apresentam, bem como reforçando a liberdade de seus filiados se posicionarem em relação a esse pleito”, disse um trecho da nota.

Também ontem, o PT fluminense declarou neutralidade no segundo turno, posição a ser seguida pela ex-candidata Márcia Tiburi. O diretório estadual vai centrar esforços na eleição do presidenciável Fernando Haddad. Até o momento, o senador Romário Faria (Podemos), quarto colocado na disputa pelo Palácio Guanabara, não se pronunciou sobre o assunto.
Ontem à tarde, o PDT estadual realizou reunião na Fundação Leonel Brizola-Alberto Pasqualini, no centro do Rio, onde formalizou apoio a Paes. Este assumiu os seguintes compromissos: defesa da democracia e das liberdades individuais; da soberania nacional; desenvolver no estado programa inspirado nos Cieps e não privatizar a Cedae.

Enquanto isso, Paes visitou o Hospital do Olho Julio Candido de Brito, em Duque de Caxias, onde anunciou que, se eleito, pretende implantar quatro outras unidades semelhantes nas demais regiões do estado. A ideia é que haja uma unidade especializada em procedimentos relacionados a problemas de visão nas regiões Norte-Noroeste, Serrana, Sul e capital. “Andei muito na campanha e só ouvi as pessoas falando desse Hospital do Olho em Caxias e resolvi conhecer. Essa é uma experiência que a gente vai levar para pelo menos mais quatro unidades do estado. Você tem a oportunidade de fazer duas mil cirurgias relacionadas a problemas de vista, principalmente catarata, por mês, com custo relativamente baixo”, observou Paes, prometendo aplicar 15% do orçamento na saúde, acima do mínimo constitucional de 12%. “A saúde de todo o estado é uma prioridade. E a gente vai arrumar a capacidade de investimento do estado na saúde. Na Prefeitura do Rio saí de R$ 2 bilhões para R$ 6 milhões, de 15% do total do orçamento para 25%”, assegurou o candidato. Hoje, às 10h, ele participa de debate em um jornal carioca.

Wilson Witzel não teve compromissos ontem de campanha, pois participou de uma sabatina na TV Globo. Hoje, às 10h, ele também participa do debate no jornal carioca; 12h30min tem encontro com representantes do Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário de Cargas e Logística do Rio de Janeiro e às 19h se reúne com líderes das forças de segurança do estado, na Barra da Tijuca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − onze =