Novo comandante busca mais proximidade entre polícia e população

Raquel Morais

Nesta terça-feira (8) foi realizada no 12º Batalhão da Polícia Militar (Niterói) a troca do comandante geral da unidade. O coronel Fernando Salema passou o comando para o também coronel Márcio Rocha, que era Chefe do Estado Maior do 1° CPA. O coronel Ruy França, comandante do 35ª BPM (Itaboraí) assumirá o 7º BPM (São Gonçalo) no lugar do coronel Samir Vaz Lima e nenhum nome foi anunciado para assumir o batalhão de Itaboraí. O destino do Salema também não foi informado após pouco mais de um ano e meio de posse no comando de Niterói.

Indagado sobre os novos planos, o comandante Rocha comentou que as prioridades começam por aquilo que passa pelo sistema de indicadores de segurança do sistema de metas e monitoramento de resultados. “Nesse contexto vamos a partir de agora envidar todos esforços de agir com execuções de ações para reduzir os indicadores de violência e criminalidade na área de policiamento da área do batalhão (…). A população espera da Polícia Militar é ver a Polícia Militar e se sentir protegida por ela”, comentou.

Sobre as questões da violência na Zona Norte, como Fonseca e Complexo do Caramujo, o atual comandante disse que irá buscar mergulhar em um diagnóstico da criminalidade na área. “No mais curto prazo possível dar a mais efetiva resposta que nesse momento tanto aflige a população. Sabemos que temos carência de recursos, a demanda da segurança pública é infinita e com base dos monitoramentos vamos alocar nossos recursos nos locais onde for necessário, onde houver a maior incidência da criminalidade e vamos especialmente cuidar do roubo de rua, de veículos e também da criminalidade violenta nas comunidades”, apontou. “Aumentar presença do policial em locais onde tem mais demanda. Capilaridade e presença da polícia militar para dar mais sensação de segurança na população e na busca de redução dos índices de criminalidade”, completou Rocha.

Sobre a possibilidade de trazer uma UPP para Niterói, o comandante foi certeiro. “Dessa experiência imagino que nós podemos, a fim de atingir esses objetivos, implementarmos uma doutrina e uma filosofia de polícia de proximidade, que tem justamente a ver com essa questão do aumento da presença, permanência da polícia militar principalmente nessas comunidades. A fim de que nós possamos melhor prover a polícia ostensiva e preservação da ordem pública na área de policiamento do 12º batalhão”, finalizou.

Em seu discurso Salema agradeceu a dedicação da tropa durante seu comando e a presença dos amigos que foram prestigiar o evento. O ex-comandante também ressaltou os militares que faleceram durante seu comando. “Desempenhamos ao máximo foram 450 armas tiradas de circulação, mais de meia tonelada de drogas e cumprimos nosso objetivo. A cidade é muito monitorada e muito conectada e isso gera muita cobrança em cima do comandante. (…) desejo toda a sorte do mundo para o Rocha”, comentou.

A solenidade contou com presença do comandante do 4º CPA Sidney Camargo de Melo, ex-comandante da unidade e atual secretário municipal de Ordem Pública de Niterói Gilson Chagas, prefeito de Niterói Rodrigo Neves, coronel Samir Vaz, representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e da polícia civil, entre outros órgãos de segurança pública.

Mudança no 4º DPA
O 4º Departamento de Policiamento de Área da Polícia Civil (DPA), responsável pelas distritais das regiões Metropolitana e dos Lagos, está sob nova direção. Com o desafio de coordenar o combate a escalada da violência, assumiu o cargo de diretor na unidade, com sede em Niterói, o delegado José Renato Magnani Chernicharo. Ele entrou no lugar do delegado Sérgio Caldas, que foi designado para a direção do Departamento Geral de Polícia da Baixada Fluminense (DGPB). Prestigiaram a cerimônia de troca e direção delegados e chefes de investigações de delegacias de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Maricá e Região dos Lagos.

Delegado José Renato Chernicharro (assumi a 4ª DPA) (7)

“Esse desafio não será estranho pra mim, que venho do Departamento Regional que coordena o interior do estado. Eu acompanho a região e seu desafios. É um DPA mais pesado até que o do interior. Ainda vou me reunir com outros responsáveis pelo policiamento na região, com o novo comandante do12º BPM, delegados, 4º Comando de Policiamento de Área (CPA). Também já tive passagens por DPs, como a 76ª DP (Centro/Niterói), no ano de 2000”, explicou Chernicharo, em meio a muitas congratulações, entre as quais do ex-comandante do 12º BPM, coronel Fernando Salema, e dos batalhões da área.

“Para mim é uma grande novidade e um desafio a ser superado. A diminuição de recursos é claro que atrapalha. Vou ter à disposição no DGPB 19 distritais com uma média de 30 agentes cada. Temos problemas de combustível e até falta de papel. Aqui em Niterói recebemos ajuda do município. Como o 4º DPA é mais volumoso, acredito que o Dr. Chernicharo vai montar um planejamento para prosseguir o trabalho que já está sendo feito”, afirmou o delegado Sérgio Caldas, que assume a DGPB.

2 thoughts on “Novo comandante busca mais proximidade entre polícia e população

  • 10 de novembro de 2016 em 13:47
    Permalink

    LINDA FOTO E EXPRESSA O ESTADO DE DIREITO JUNTO ÁS INSTITUIÇÃO, DA POLÍCIA MILITAR ESPECIALMENTE NO 12º BATALHÃO, GOSTARIA QUE A FOTO FOSSE AMPLIADA E MAIS NÍTIDA ONDE SE VÊ O PRÉDIO, NO ENTANTO NÃO CONSIGO LER A FRASE QUE ESTÁ ESCRITA NO TOPO DESSE PRÉDIO.SOLICITARIA A AMPLIAÇÃO DA PARTE SUPERIOR DA FOTO, PODERIA DAR UMA MENSAGEM DE VALOR CORPORATIVO INSTITUCIONAL, OBRIGADO. IVAM.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + 20 =