Novo calendário traz alívio para trabalhadores e pessoas com comorbidades

Niterói está na iminência de concluir uma importante etapa da vacinação no combate à pandemia, no próximo sábado, quando todas as pessoas com mais de 60 anos deverão ter sido imunizadas contra a Covid-19. E na próxima semana, a partir de segunda-feira (3), terá início um novo calendário, conforme anunciado na terça-feira (27) pelo governo municipal. A nova etapa inclui os trabalhadores de serviços essenciais e pessoas com comorbidades.

Vale destacar que Niterói conseguiu ser eficiente no processo de imunização de sua população dependendo única e exclusivamente do fornecimento de imunizantes pelo Ministério da Saúde. Outras alternativas chegaram a ser buscadas, como a negociação para aquisição de 800 mil doses vacina russa Sputnik V, contra a qual existe resistência técnica e, no entendimento de alguns, também política, na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Por ora, Niterói adota a cautela para se manifestar nesse sentido. No entanto, o município luta no âmbito judiciário, em conjunto com Maricá, para ter o direito de importação e aplicação do imunizante. Muito, também, em razão da agonia de muitas categorias profissionais serem essenciais, principalmente para a manutenção de diversos serviços que não podem parar.

É o caso dos trabalhadores do transporte rodoviários, que chegaram a anunciar que entrariam em greve. Contudo, o anúncio de sua inclusão feito pelo prefeito Axel Grael, tranquilizou a categoria. O despachante Márcio Porto, de 49 anos, comemorou a inclusão dos rodoviários no calendário de vacinação.

“Nós somos linha de frente, lhe dando com o público diariamente. Precisamos ser vacinados, mesmo. Hoje faleceu mais um motorista e tem outro que não está muito bem”. Ainda segundo o despachante, a vacinação dos rodoviários já deveria ter acontecido, mas chega em boa hora.

Os agentes de trânsito, incluídos como trabalhadores essenciais, também comemoraram o prenúncio da imunização. Fabiano Dias, acredita ser muito importante a categoria ter sido incluída no calendário de vacinação do município, pois, desde o início da pandemia, os agentes de trânsito estão diariamente nas ruas. “Eu e meus colegas comemoramos e nos sentimos aliviados pela inclusão de nossa categoria no calendário de vacinação.”, disse, relatando, ainda que soube de casos de infecção entre os colegas de profissão que resultaram em morte.

O medo foi o sentimento que mais acompanhou as pessoas com comorbidades nesse período. Muitas estão em isolamento total desde o início da pandemia e aguardam ansiosamente o momento de serem imunizadas. Mas esse não é o caso de Alexandro Araújo, que correu o risco e trabalha como auxiliar de atendimento, contratado como Pessoa Com Deficiência (PCD). Ele acha importante que pessoas com doenças crônicas e comorbidade sejam incluídas no calendário de vacinação. “Nós precisamos dessa vacina. É preciso cuidar desse problema o mais rápido possível. Tenho medo de pegar essa doença”, afirmou.

AS COMORBIDADES

O calendário também vai começar a atender pessoas com comorbidades, deficiências permanentes e trabalhadores de serviços essenciais com menos de 60 anos. Esta etapa será dedicada às pessoas com comorbidades e grupos prioritários, a partir de 59 anos, que incluem trabalhadores da Educação, rodoviários, profissionais de limpeza urbana, agentes de trânsito e profissionais da área de segurança. A vacinação será de 3 a 29 de maio.

As pessoas com comorbidades deverão apresentar RG e CPF, comprovante de residência e uma declaração médica comprovando o seu quadro clínico. Já os profissionais dos grupos prioritários em atividade em Niterói deverão apresentar, além de RG e CPF, o contracheque do mês corrente ou uma declaração atual do local de trabalho, com data, assinatura e carimbo do empregador.

As doenças definidas como comorbidades são diabetes mellitus, pneumopatias crônicas graves, hipertensão arterial resistente, hipertensão arterial estágio 3, hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão alvo e/ou comorbidade, insuficiência cardíaca, cor pulmonale e hipertensão pulmonar, cardiopatia hipertensiva, síndromes coronarianas, valvopatias, miocardiopatias e pericardiopatias, doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas, arritmias cardíacas, cardiopatias congênitas no adulto, próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados, doença cerebrovascular, doença renal crônica, imunossuprimidos, anemia falciforme, obesidade mórbida, síndrome de Down e cirrose hepática.

Para comprovar uma dessas condições, será necessário levar ao posto de vacinação atestado ou recomendação médica ou apresentar as três últimas prescrições/receitas médicas da medicação de uso contínuo necessária para o tratamento da comorbidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito + 4 =