Novo ambulatório do Huap será inaugurado em julho

Raquel Morais –

No dia 3 de julho será inaugurado o novo complexo ambulatorial do Hospital Universitário Antonio Pedro (Huap), no Centro de Niterói. A equipe de A TRIBUNA esteve ontem de manhã, com exclusividade, visitando o espaço, que segundo a direção da unidade tem dois principais objetivos: oferecer qualidade no atendimento médico e com isso voltar aos áureos tempos do hospital, que sempre foi referência em Niterói. A perspectiva com o novo funcionamento é devolver os 50% dos atendimentos que eram oferecidos nesses velhos tempos, e que atualmente está menos efetivo.

“Não vamos duplicar o atendimento e sim voltar a ser o que era. Além da quantidade que irá voltar a ser como antes, a qualidade está sendo o nosso foco. Se hoje atendemos cerca de 600 pacientes por dia, com a utilização do novo espaço voltaremos a ter os 900 atendimentos diários. Isso tudo com conforto, qualidade, agilidade e uma equipe muito bem capaz para isso”, comentou professor Tarcisio Rivello, superintendente do Huap, que acrescentou que o investimento foi de quase R$ 14 milhões em toda obra.

No quesito equipe de trabalho, o diretor da unidade informou que cerca de 300 profissionais vão trabalhar nessa expansão, mas o Huap ainda não tem esse corpo técnico de médicos, enfermeiros e administrativos. “Vamos começar a atender a população com os especialistas que temos. O concurso da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) já está aberto e falta somente a homologação. Os funcionários já estão sendo treinados e reeducados para atenderem nesse novo espaço. Estamos com uma nova lógica de trabalho”, reforçou.

Tudo está praticamente em seus devidos lugares, cadeiras e mesas instaladas, piso, pintura, placas informativas, iluminação e climatização, por exemplo. Nos próximos dias estão para chegar alguns equipamentos como o aparelho de sistema de chamada eletrônico e mesas cirúrgicas e auxiliares, além de respiradores para o Centro Cirúrgico Ambulatorial. Ao todo serão dois andares com 82 consultórios espalhados e 40 especialistas como pediatria, ginecologia, mastologia e neurologia, por exemplo. “Temos capacidade para atender toda a Região Metropolitana 2, que compreende São Gonçalo, Itaboraí, Maricá e outros municípios”, reforçou Tarcísio, que explicou que o atendimento será através de encaminhamento pelo posto de saúde e pela Central de Regulação Municipal ou Estadual.

A arquiteta Mônica Félix, responsável da gerência do projeto de obras pela Divisão de Logística e Infraestrutura Hospitalar, está trabalhando dobrado para que tudo ocorra como previsto, ou melhor, como está na planta. “Todo o projeto foi desenvolvido com muito amor, sempre pensando no bem-estar dos pacientes que vão ser atendidos e nos funcionários também. Temos piso tátil e seguimos os protocolos de acessibilidades, por exemplo. Pensamos em todos os detalhes desde 2011 e em 2014 iniciaram as obras”, finalizou.

VERBA FEDERAL
No início do mês o Huap recebeu R$ 3,7 milhões por meio do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf). Segundo o Huap, a verba foi destinada por meio de duas portarias do Ministério da Saúde: R$ 2.584.464, 83 para custeio de insumos e pagamentos de serviços de uso diário da unidade hospitalar a outra parte, R$ 1.107.627,79, serão usados para investimentos em equipamentos como ventilador pulmonar que pode ser utilizado para o centro de tratamento intensivo (CTI), centro cirúrgico geral, centro cirúrgico obstétrico e centro cirúrgico ambulatorial, que faz parte das obras do novo complexo ambulatorial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *