Nova sinalização viária facilita circulação dos ciclistas

Os ciclistas de Rio das Ostras já estão utilizando as conexões das ciclovias do Município. As faixas pintadas de vermelho servem para delimitar o trecho de passagem das bicicletas e conferem um tráfego mais seguro nesses locais. Quem utiliza a bike como meio de transporte na cidade aprovou a iniciativa da Prefeitura.

A ciclista Franciele Batista diz que o “tapetão vermelho” vem chamando a atenção de todos, mas ressalta que é importante que as pessoas se informem sobre como circular corretamente no local. “É como uma pista de carro: tem mão e contramão e deve ser respeitada por todos, para que exista uma harmonia no trânsito”, disse Franciele.

O casal Leonardo e Rosa Araújo defende que todos conheçam mais sobre a sinalização viária, ciclistas, motoristas, motociclistas e pedestres. Leonardo disse que como ciclista há 25 anos observa que a sinalização em Rio das Ostras, de responsabilidade da Secretaria Municipal de Transportes Públicos, Acessibilidade e Mobilidade Urbana, é uma das melhores na região.

“Além de sinalização horizontal, temos uma excelente sinalização vertical, que precisa ser respeitada para o bem de todos”, completou o ciclista. A moradora Maria Isabel da Conceição usa a bicicleta diariamente para ir para o trabalho. Ela já sofreu um acidente, causado por um motorista que desrespeitou a sinalização da via.

“Há seis meses fui atropelada por um motorista que avançou o semáforo. Mas acho que é uma questão de tempo. As pessoas vão apreender a respeitar, até porque o uso de bicicleta na cidade é cada vez maior”, diz Maria Isabel.

COMO UTILIZAR
Eduardo Almeida, assessor de Mobilidade Urbana da Secretaria de Transportes Públicos, Acessibilidade e Mobilidade Urbana, explica que as conexões cicloviárias são os pontos mais importantes para ciclistas e motoristas – onde os meios de transportes não motorizados e motorizados se encontram.

Ele lembra que, de acordo com a legislação, nos trechos onde há semáforo todos devem respeitar a sinalização luminosa; carro, bicicleta e os pedestres. Onde não há semáforo, a preferência de passagem é das bicicletas, exceto nas agulhas de desaceleração da RJ-106 para as vias arteriais paralelas, onde os ciclistas devem parar e observar, até mesmo como medida defensiva.

Onde existir área de proteção para ciclistas, como círculos amarelos ou “áreas zebradas brancas”, os carros devem reduzir a velocidade e, se necessário, parar.

Nas vias compartilhadas entre ciclistas e pedestres é muito importante que haja um cuidado maior sobre quem caminha. Os ciclistas não podem forçar ultrapassagem nem andar em alta velocidade, evitando assim, acidentes que podem ter gravidade.
“Atenção é a palavra chave. Esquecer os celulares, principalmente, e interagir com o trânsito e com o tráfego de ciclistas. Atenção total na direção é a melhor maneira de usar as conexões cicloviárias”, completa Eduardo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − três =