Nova fase da Operação Lava Jato no Rio e mais 4 estados

A 62ª fase da Operação Lava Jato foi deflagrada, na manhã dessa quarta-feira (31), no Rio e mais quatro estados, e o principal alvo da Polícia Federal é o esquema de pagamento de propinas, disfarçadas de doações eleitorais, e operações de lavagem de dinheiro feitas pelo Grupo Petrópolis, da marca de cerveja Itaipava. O presidente do Grupo Petrópolis, Walter Faria, desde as primeiras horas da manhã, estava sendo procurado pelos agentes.

Segundo a PF, foram expedidos 1 Mandado de Prisão Preventiva, 5 Mandados de Prisão Temporária e 33 Mandados de Busca e Apreensão. Antes das 9 horas da manhã, três pessoas haviam sido presas. De acordo com a apuração da PF, acusação é que o Grupo Petrópolis teria auxiliado a Odebrecht a pagar propina através da troca de Reais no Brasil por Dólares em contas no exterior. As investigações sobre o grupo vem desde 2016, quando uma planilha com nomes de políticos e referência à cerveja Itaipava foi achada na casa do executivo da construtora Odebrecht, Benedicto Junior.

Segundo delação do executivo, a construtora utilizou o Grupo Petrópolis para realizar doações de campanha eleitoral para políticos de outubro de 2008 a junho de 2014. Em setembro de 2017, Walter Faria entregou à PF planilhas com informações sobre os repasses da empresa a políticos a pedido da Odebrecht. Além da Itaipava, o grupo Petrópolis é dono de marcas de cerveja como Crystal, Lokal e Petra, além do energético TNT. O grupo tem sete fábricas em cinco estados: Rio, Bahia, São Paulo, Mato Grosso, e Pernambuco .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro + 7 =