Nova diretoria do Sindicato dos Jornalistas do Estado toma posse

Anderson Carvalho –

Interiorizar mais o sindicato e aproximá-lo dos profissionais de imprensa. Essa é a meta da nova direção do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro, que tomou posse nesta terça-feira (30), em cerimônia realizada no plenário da Câmara Municipal de Niterói, que teve a presença de cerca de 70 pessoas, entre jornalistas, como o diretor-presidente de A TRIBUNA, Jourdan Amora, políticos, como o deputado estadual Waldeck Carneiro (PT) e os vereadores Paulo Henrique (PPS) e Paulo Eduardo Gomes (PSOL) e o advogado Fernando Dias, membro da Conselho da OAB-Niterói. O novo presidente do sindicato é Mário Souza, que assume no lugar de Continentino Porto para um mandato de três anos.

“Vamos lançar uma campanha em todo o estado intitulada ‘Jornalista, nós queremos ouvir você’. Percorremos o estado na última gestão, em que fui vice. Vimos os efeitos da crise econômica nacional e do país, que provocou a demissão de muitos profissionais nas redações dos jornais e a precarização de um nicho que sempre teve um bom mercado, que é o dos assessores de imprensa. Queremos implantar diretorias regionais nos municípios para nos aproximar dos profissionais”, informou Mário Souza.

O dirigente acrescentou que, o sindicato apurou que muitos jornalistas sofrem assédio sexual no local de trabalho, além de racismo, homofobia e outros tipos de discriminação. “ Detectamos até bullyng nas redações. Vamos combater todo o tipo de preconceito e intolerância.”, garantiu. Segundo levantamento feito pela entidade, nos últimos anos houve dez assassinatos de jornalistas por motivações políticas”, relatou.

A luta pela volta da obrigatoriedade do diploma para o exercício da profissão é outra prioridade para a nova gestão. “Estamos nos mobilizando no Congresso Nacional pela aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do Diploma”, disse Mário.

Antes da cerimônia, foi feito um minuto de silêncio pelo falecimento do radialista e jornalista Cézar Rizzo, no último dia 21. Em seu discurso de despedida, Continentino fez um balanço de sua gestão, destacando o relatório da Comissão da Verdade do sindicato, sobre perseguições sofridas por profissionais durante a ditadura e a luta pela volta do diploma. “O relator da PEC na Câmara dos Deputados, Hugo Leal, deu parecer favorável. Nos juntamos à Federação Nacional dos Jornalistas na luta”, lembrou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 − um =