Cotado para disputar o Governo do Estado, Rodrigo afirma ser vítima de conspiração

Alan Bittencourt

Após ter seu telefone celular apreendido pela Polícia Federal (PF), o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves (PDT), mostrou toda a sua indignação com o ocorrido, que classificou como conspiração. Alvo da Operação Transoceânica, que apura supostas irregularidades nas obras do Corredor Transoceânico, que incluiu também a construção do Túnel Charitas-Cafubá, e em contratos de publicidade, ele nega todas as acusações.

Segundo o prefeito, várias pessoas o alertaram que ele seria um alvo de ações porque Niterói estaria muito em evidência.

“Há uma tentativa, desde 2018, de não só atacar a imagem da administração municipal como também de destruir um projeto consistente e sério de gestão da cidade. Porém, no Rio tem outras situações que não são esclarecidas. Essa situação nos deixa indignados. Estamos terminando nosso mandato em 15 dias com 85% de aprovação popular, tendo assinado há três dias um acordo com o Instituto Butantan para vacinar a população de Niterói. Meu sucessor (Axel Grael) foi eleito com 62% contra 9% do segundo colocado. Não há um elemento na medida cautelar que fale sobre qualquer tipo de vantagem que e possa ter tido ou qualquer ação que não tenha sido dentro da legalidade”, disse.

Apesar da indignação, Rodrigo afirmou acreditar na importância de instituições como o Ministério Público e a Polícia Federal e, principalmente, em uma instituição essencial à democracia que é o Poder Judiciário. Ele acredita que com a ação de sua defesa vai identificar a origem da conspiração da qual diz ser alvo e responsabilizar os “criminosos, culpados dessas ações”.

“Precisamos estar atentos para que órgãos de Estado, especialmente a polícia, não estejam a serviço de interesses políticos e de proteger amigos e perseguir eventuais adversários. Prefiro não citar ninguém, mas Niterói hoje tem uma administração reconhecida em todo o Brasil. Já sofri uma acusação injusta de formação de quadrilha e organização criminosa, que já foi arquivada sem abrir processo há cerca de dois anos”, declarou.

Segundo Rodrigo, ele está bastante tranquilo porque sabe o que fez de sua vida pública e privada.

“Fui deputado estadual e nunca figurei em lista de Fetranspor, de rachadinha e muito menos de milícias. Niterói é a única cidade da Região Metropolitana do Rio que não tem milícia. Não há nenhum desvio e não encontrarão no projeto da Transoceânica”, afirmou.

Sobre as supostas irregularidades nas obras, o prefeito afirmou que tudo feito de acordo com as leis vigentes.

“O cronograma, o planejamento e a execução das obras foram feitos com custo menor do que todos os projetos similares no Brasil e na América do Sul. Cumpriu todo o cronograma e planejamento, foi fiscalizado por diversos órgãos de acompanhamento e financiamento, como a Caixa Econômica Federal. O Tribunal de Contas, em seu relatório, deixa claro que não houve sobrepreço. É importante destacar que essa medida de busca e apreensão tem como base um relatório de 2018 que como medida já foi revista com a apresentação das justificativas da prefeitura, onde se concluiu que não houve sobrepreço”, afirmou.

Confiante nas instituições do estado democrático de direito, Rodrigo disse que nunca foi procurado para dar a sua versão dos fatos.

“Estamos absolutamente à disposição das instituições. Não fui convidado para prestar esclarecimentos sobre qualquer assunto. Se fôssemos convocados, iríamos prestar os esclarecimentos porque não temos nada a esconder”, afirmou.

Rodrigo declarou ainda que a operação de ontem aconteceu devido ao sucesso de sua gestão.

“Quero dizer à população que estou sendo vítima de uma conspiração para destruir minha reputação e minha imagem. A minha administração começou em 2013 com dívidas superiores a 500 milhões de reais e vai entregar nos próximos dias a Prefeitura com mais de 700 milhões de reais em contas disponíveis. Quando assumi em 2013, o Fundo Municipal de Previdência tinha 12 milhões de reais e hoje tem mais de 740 milhões de reais. Como todos processos da Prefeitura de Niterói na atual gestão, as informações sobre a obra estão disponíveis no Portal de Transparência”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 − 1 =