No Dia do Consumidor o respeito é a chave para manter a clientela

Raquel Morais –

Nesta quarta-feira (15) é comemorado o Dia Mundial dos Direitos do Consumidor e a Câmara de Dirigentes Lojistas de Niterói (CDL) aponta o bom serviço como o diferencial para fidelizar os clientes. O respeito também foi lembrado pela Autarquia de Proteção e Defesa do Consumidor do Estado do Rio de Janeiro (Procon RJ) e a exclusividade é a carta na manga de muitos empresários.

Para o vice-presidente da CDL-Niterói, Luiz Vieira, a questão da relação do consumidor é uma situação que é vista pelo empresário não somente como uma obrigação, e sim como uma forma de investimento.

“Quando se tem um consumidor que está satisfeito com os serviços prestados você fideliza o consumidor. Hoje em dia o mercado não é só feito de preço e os clientes querem alguma coisa a mais. O consumidor não quer ser visto como um número e sim como uma pessoa diferenciada. A lei de defesa de consumidor estipulou as obrigações, mas os grandes comerciantes da cidade já aplicavam as situações em prol da fidelidade. Essa relação quanto mais próxima melhor”, explicou.

A coordenadora de Atendimento do Procon Estadual, Soraia Panella, frisou que ‘respeitar o consumidor é vital. É ele quem faz a economia girar. Além disso, todos nós somos consumidores o tempo todo’. Para Felipe Fagundes Moore, especialista em musculação e treinamento de força, a exclusividade no atendimento era seu alvo na época que ainda era estagiário. “Consegui montar meu estúdio e priorizo a exclusividade com atendimento com hora marcada e no máximo cinco alunos por hora para o atendimento. Gosto de prescrever os exercícios em cima da individualidade biológica do aluno”, completou o dono da Life Studio Personal, em Icaraí.

“Trabalho há muito tempo com moda, desde a produção de peças, e percebi que o varejo estava muito carente. As pessoas estavam tendo acesso a produtos de pouca qualidade e iguais e comecei a pensar no bom produto e atendimento em Niterói. Oferecemos um cappuccino ou um espumante e valorizamos o cliente, afinal, que cliente não gosta de se sentir único?”, questionou Débora Alonso, 33 anos, dona da Zul, no Centro de Niterói. A vendedora Camila Minussi garante essa satisfação. “Todo cliente é especial e esse é o diferencial”, completou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 3 =