Niterói vai para segundo turno com Rodrigo Neves e Felipe Peixoto

Pela segunda eleição consecutiva, Rodrigo Neves (PT) e Felipe Peixoto (PSB) irão disputar a Prefeitura de Niterói no segundo turno. Neves ficou com 47,98% dos votos válidos e, por pouco, não encerrou a disputa no primeiro turno. O verde teve 109.531 votos. Já Felipe conseguiu 30,69% dos votos válidos, com 70.065 votos.

1 - RODRIGO NEVES, COMTE E AXEL (36)

Segundo Rodrigo, resultado das urnas reflete, em primeiro lugar, o reconhecimento, trabalho e esforço que foi feito por sua gestão no primeiro mandato. “Tenho muito orgulho de ter sido o prefeito da Região Metropolitana que sai com esse desempenho no primeiro turno. E estou satisfeito por ter ampliado a votação em relação ao pleito de 2012, quando tivermos 39% dos votos no primeiro turno e agora tivemos 48% e, por um ‘beiço de pulga’, não chegamos a vitória logo no primeiro turno”, disse.
Rodrigo Neves atacou Felipe Peixoto e disse que o candidato teve 32% em 2012 e caiu para 30%. “Por isso não tenho dúvida nenhuma que, com essa militância e sobretudo com a população e com os cidadãos conscientes esclarecidos de Niterói, no dia 30 de outubro vai dar 43 na cabeça”, enfatizou.

Felipe Peixoto

“Para quem fez uma campanha sem dinheiro, filmada com celular, este resultado é uma vitória. Hoje [ontem] iremos comemorar, mas a partir de segunda (hoje) colocaremos o pé na rua para continuar o trabalho”, desabafou eufórico, Felipe Peixoto, logo após o fim da apuração. Durante a contagem dos votos o candidato do PSB estava visivelmente nervoso, acompanhando voto a voto em um telão na sede do seu comitê de campanha, no Centro. Ao som de ‘eu acredito’, Felipe acompanhou a apuração junto com seus dezenas de pessoas que não paravam de gritar um segundo. Apesar da euforia, nos últimos votos, a tensão aumentou já que faltava pouco para Rodrigo Neves (PV) ganhar no primeiro turno. Mas ao final, Felipe não conseguiu conter o grito e os presentes foram ao delírio com sua reação.

Logo após discursar aos mais de 150 pessoas que estavam acompanhando a apuração junto com ele, Felipe Peixoto ‘puxou’ uma verdadeira festa. O candidato à prefeitura de Niterói pegou uma bandeira e correu pelas ruas da cidade, em direção a praia de Icaraí. A euforia era tanta que ele teve que parar para esperar os demais que vinham correndo atrás. “Foram quase 80 quilômetros que caminhamos durante a campanha, foi muita sola de sapato gasta. Este resultado é uma vitória, para quem chegou desacreditado, temos que comemorar esta vitória”, declarou Felipe.

Muitas ausências
No segundo turno, Felipe Peixoto e Rodrigo Neves terão uma batalha pela frente. Eles devem correr atrás dos votos dos eleitores de Flávio Serafini, além de tentar levar às urnas os 66.872 eleitores que não compareceram no primeiro turno e mais 75.800 eleitores que anularam ou votaram em branco.

Perfis
Nascido em São Gonçalo, Rodrigo viveu sua vida inteira em Niterói. É casado com a pedagoga Fernanda Sixel com quem teve três filhos. Foi vereador nas legislaturas de 1997 a 2000, 2001 a 2004 e de 2005 a 2006, quando foi eleito deputado estadual, com 41.288 votos. Em 2005, ocupou a Secretaria Municipal de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia na gestão do então prefeito Godofredo Pinto (PT). Em 2008 disputou pela primeira vez a prefeitura, ficando em segundo lugar. Em 2010, foi reeleito deputado estadual com 38.856. Em 2011, foi nomeado secretário estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, onde criou programas como o Renda Melhor. Em 2012, foi eleito prefeito, com 52% dos votos no segundo turno. Deixou o PT após 20 anos de militância devido à forte rejeição popular ao partido.

Peixoto é nascido e criado em Niterói. Casado com a Graziela, pai da Clara e da Mariana, tem 39 anos de idade. Formado em Direito, pela Unilasalle e em Administração pela UFF, é especialista em Direito Público, pela Escola Superior da Advocacia, da OAB.Felipe iniciou sua militância politica na infância, quando aos 9 anos fundou um comitê mirim do PDT. Aos 21 anos, foi convidado para o cargo de subsecretário regional de Icaraí. Em 2000 disputou a primeira eleição, obtendo 3.018 votos e ficando na primeira suplência. Com 23 anos, assumiu mandato na Câmara. Foi reeleito para mais dois mandatos, em 2004 e 2008.

Em 2010, foi eleito deputado estadual com mais de 30 mil votos. Em 2011, assumiu a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca, que deixou em abril de 2014, quando fora indicado como vice na chapa do candidato a governador Luiz Fernando Pezão (PMDB). Porém, em seguida, o PDT deixou a coligação do PMDB. No segundo turno de 2012, obteve cerca de 120 mil votos. Em fevereiro, insatisfeito com os rumos do PDT, deixou a sigla

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 + dois =