Niterói tem motivos de sobra para celebrar o Dia do Idoso

Na próxima segunda-feira, 1º de outubro, é o Dia do Idoso. Niterói tem motivos de sobra para celebrar a data, já que segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), cerca de 18,8% da população estimada para 2018 (511.786), é formada por pessoas da terceira idade. A criação da Secretaria do Idoso, no final de 2015, abriu uma série de possibilidades e serviços para atender a essa parcela especial da sociedade.

A Secretaria do Idoso fará eventos variados envolvendo entretenimento, palestras jurídicas e saúde. Mas as comemorações já começaram. Na quinta-feira aconteceu um baile realizado pelo Point do Idoso, no Clube Central. Na próxima quarta, acontece no Horto do Barreto o V Encontro dos Idosos, onde serão debatidos temas como qualidade de vida dos idosos, das 9h às 12h. Finalizando, no dia 25 será realizado o Baile do Projeto Gugu, no Canto do Rio, das 15h às 19h.

Foram muitas as iniciativas realizadas pela Secretaria do Idoso, principalmente no que diz respeito a serviços e ações sociais, como a criação do Conselho do Idoso, o Point do Idoso, Centro de Atendimento, Concurso Rainha do Carnaval do Idoso, Associação de Instituições de Longa Permanência, Fest Voice da Maturidade, entre muitas outras.

O ex-secretário Beto Saad, que deixou a pasta recentemente para assumir uma cadeira na Câmara Municipal, levou junto com ele a bandeira de defesa dos idosos. Tanto que esta semana ele protocolou na Casa um projeto que concede gratuidade nos ônibus a pessoas com mais de 60 anos, já que hoje o benefício só é concedido a quem tem mais de 65.

“A gente recebeu muitas reclamações da lei aprovada recentemente na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), determinando a gratuidade nos ônibus intermunicipais para 60 anos, em abril deste ano. Depois, o governador vetou. Em maio, o veto voltou à Alerj e esta o derrubou. Hoje, tem uma demanda judicial para determinar se vai a 60 anos ou 65 anos, a gratuidade. Atualmente, devido à situação econômica que os aposentados enfrentam, com parcos salários e planos de saúde que muitos não têm conseguido contribuir, nada mais justo que reparar essa lacuna”, explicou o vereador.

Os números mostram que aproximadamente 90 mil pessoas acima dos 60 anos vivem atualmente em Niterói. O aumento da população idosa na cidade pode ser atribuída ao alto Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Outro fator que parece contribuir para a qualidade de vida na terceira idade é a proximidade com o mar. É o que mostra o Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade (IDL), que estabelece um ranking inédito das melhores cidades do país para as pessoas que têm 60 anos ou mais. Afinal, três das quatro primeiras colocadas da lista – Santos (1ª), Florianópolis (2ª) e Niterói (4ª) – são litorâneas, sendo que Porto Alegre ficou em terceiro lugar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 5 =