Niterói recebe quase mil competidores em campeonato de canoagem

A Praia de São Francisco, em Niterói, foi palco para a disputa da primeira etapa do Campeonato Estadual de Canoa Polinésia. Depois de mais de um ano paralisado por causa da pandemia, a competição bateu recorde com 996 participantes, o maior número já visto em qualquer evento da modalidade no Brasil. As provas dos barcos OC6 (seis tripulantes) e V3 entre 8 e 16km foram disputadas na Baía de Guanabara em diversas categorias: júnior, estreante, open, master e paravaa (paratletas).

A cidade de Niterói tem 33 clubes distribuídos em seu litoral, desde o centro até às praias oceânicas. Ao todo nove cidades do estado tiveram representantes. Além de Niterói e do Rio de Janeiro, vieram competidores de Paraty, Cabo Frio, Búzios, São Pedro D’Aldeia , Arraial do Cabo, Araruama e Macaé.

Foto:
Renan Branco e Foco Radical


Os grande campeão na categoria Open Masculina foi a equipe Team Mirage He’e Nalu, de Cabo Frio, equipe bicampeã Brasileira que confirmou o favoritismo: “O pior é o treino e na competição é onde vemos como está sendo nosso trabalho então quando ganhamos uma prova é sinal que estamos indo bem”, disse Maxwel. Henrique destacou o projeto da equipe em formar novos talentos em Cabo Frio: “Perseverar sempre e buscar novos talentos , temos uma galera nova que estão renovando, eu daqui a pouco estou indo para a Master e serei substituído, importante sempre ter gente nova e que o esporte possa evoluir”, seguiu Henrique.

O segundo lugar ficou com o Rio Va’A,do Rio de Janeiro, e o terceiro com o Brava’A. Na categoria mista o troféu ficou com o Fusão Va’A deixando o Soul Va’A em segundo e o Hoa Aloha em terceiro. Entre as mulheres, o Mana Brasil foi o vencedor com o Kahu Paddle Club em segundo e o Team Mirage He’e Nalu fechando o pódio.

Foto: Renan Branco e Foco Radical


Na categoria V3, o Mulheres no Mar faturou o caneco seguido pelo VelaJovem de Macaé e o Barra Va’A. Entre os homens o MPS saiu vencedor seguido pelo Carioca Va’A e o Esquilo Sports Club em terceiro.

Luiz Carlos Gallo, Secretário de Esportes e Lazer de Niterói (RJ), destacou a importância da competição. “É um esporte que quando assumimos a Secretaria de Esportes há quatro anos tínhamos de três a quatro clubes e hoje tem 33. Hoje Niterói está na vanguarda onde temos mais adeptos em nível municipal, estadual e nacional e o exemplo foi agora com esse recorde em uma etapa estadual com quase 1 mil atletas de vários municípios do estado do Rio de Janeiro em primeiro lugar pelo trabalho de credibilidade da federação de Canoa (FCHERJ) dando exemplo de gestão. Niterói saiu na frente logo que começou a pandemia, tivemos a iniciativa de construir o primeiro hospital de campanha fazendo toda a blindagem necessária para que a cidade pudesse se sentir acolhida e baseado nisso conseguimos avançar em algumas modalidades. Foi tão bem planejado que dividimos em quiosques para evitar aglomerações”, disse Gallo.

“Foi uma grande competição. Tivemos rigoroso controle diante da pandemia da COVID em conjunto com a Secretaria de Esportes e Lazer de Niterói, não montamos a habitual estrutura em terra, foi tudo basicamente na água. Estamos muito contente com o recorde de atletas em todo o Brasil. Foi um grande dia para a Canoa Polinésia”, disse o organizador do evento, Tiago Martins .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × cinco =