Niterói realiza audiência pública sobre o Canal de São Lourenço

Wellington Serrano –

A Prefeitura de Niterói e o Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias (INPH) realizaram na noite de ontem audiência pública para apresentação do Estudo de Impacto Ambiental (EIA/Rima) para a dragagem do Canal de São Lourenço. O relatório foi custeado pelo município com investimento de R$ 772 mil. O documento é a condição para a liberação das obras.

A audiência pública aconteceu na Sala Nelson Pereira dos Santos e faz parte de uma das etapas para que o Inea possa concluir a análise dos estudos e dar o aceite para as obras. Após a liberação do Inea, os resultados serão apresentados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias (INPH) aos órgãos competentes do governo federal.

De acordo com o documento, a dragagem deverá ser realizada em sete áreas localizadas em Niterói e três em São Gonçalo. Além disso, o Canal de São Lourenço deve ser aberto sob o atual acesso à Ilha da Conceição e terá 20 metros de largura, com 300 de extensão e três metros de profundidade com estacas pranchas.

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico de Niterói, Luiz Paulino Moreira Leite, comemorou a realização da audiência pública.

“Graças a Deus estamos vendo a concretização deste evento depois de quatro anos de luta para conseguir chegar a esse momento, que é uma responsabilidade da cidade perante a sociedade”, declarou.

Segundo ele, as obras para restauração da circulação hidrodinâmica trará benefícios aos moradores e ao meio ambiente. “Não só pela recuperação do calado, para as embarcações encostarem e dar emprego, mas principalmente para revitalizar essa vida marinha completamente morta e inerte. Com isso, vamos tirar a poluição das nossas praias também. Então, essa dragagem vai gerar um benefício muito grande e Niterói está colaborando com o governo federal e com a Prefeitura de São Gonçalo. Não podemos esperar mais tempo. A dragagem para nós é uma vitória”, disse o secretário.

O engenheiro Domenico Acetta disse que as obras nos canais de acesso aos estaleiros de Niterói e São Gonçalo terão 42 quilômetros de extensão. “A abertura do canal de São Lourenço, que voltará com a condição normal da Ilha da Conceição, permitirá que as águas oceânicas mais limpas que entram na Baía de Guanabara voltem a circular em seu entorno”, ressaltou.

A funcionária da Concremat, Daniella Sittrop, da equipe que elaborou o estudo de impacto ambiental, falou sobre a caracterização e a definição das áreas do empreendimento e das três atividades primordiais. “Neste primeiro momento trabalhamos com a abertura do canal, a construção de uma ponte de acesso à Ilha da Conceição, na Rua Mário Neves, e com a dragagem”, afirmou.

Estavam presentes Maurício Couto, presidente da Comissão Estadual de Controle Ambiental (Ceca), além de representantes do Ministério Público Estadual e Federal, que atuaram como mediadores do debate.

One thought on “Niterói realiza audiência pública sobre o Canal de São Lourenço

  • 24 de outubro de 2019 em 18:53
    Permalink

    Em nenhum momento foi ouvido os profissionais da pesca, o sindicato dos armadores, a colônia Z8. O CIPAR que custou 10 milhões, continua sem operar por conta desse abandono das embarcações ali no canal. Uma pena que a comunidade pesqueira nao tenha sido ouvida.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × 2 =