Niterói Presente: Governo do RJ rompe parceria com a Prefeitura

Alvo de polêmicas desde que o contrato entre a Prefeitura de Niterói e o Governo do Estado do Rio de Janeiro se encerrou na última terça-feira (31), o programa Niterói Presente está oficialmente encerrado. Isso porque a iniciativa passará a ser de responsabilidade do governo estadual, que vai lançar nesta sexta-feira (3) o Segurança Presente Niterói. O patrulhamento, de acordo com o Executivo Fluminense, vai continuar com o mesmo número de agentes e será expandido para Pendotiba.

Em nota, a Prefeitura de Niterói atribuiu a decisão ao estado e afirma que vai direcionar os recursos que investia no Niterói Presente em outros programas, como o “Pacto Niterói contra a violência”. Leia o comunicado da prefeitura abaixo na íntegra:

A Prefeitura de Niterói informa que, por decisão do governo do Estado, não poderá mais atuar na gestão do Programa Niterói Presente. Desde 2013, a Prefeitura de Niterói decidiu investir na proteção da população com a instalação do Centro Integrado de Segurança Pública (CISP), com o uso de câmeras inteligentes no monitoramento das ruas, além do reforço substancial no policiamento por meio do Niterói Presente e Proeis.
Há quatro anos, a cidade foi pioneira na criação do Programa Niterói Presente, com recursos integralmente municipais. Até hoje, 60% dos policiais que patrulham as ruas de Niterói estavam bancados pela Prefeitura por meio de parcerias como o Proeis.
O modelo de policiamento desenvolvido em parceria com a Prefeitura de Niterói, inédito no País, fez com que Niterói alcançasse os menores índices de criminalidade dos últimos 20 anos em toda a Região Metropolitana.
Ao não assinar a continuidade da parceria com a Prefeitura de Niterói, o governo reconhece que é responsabilidade constitucional do Estado a segurança pública.
A Prefeitura de Niterói entende, entretanto, que a proteção da população é uma prioridade e, portanto, direcionará os recursos antes aplicados no Niterói Presente em outras ações do Pacto Niterói contra a Violência, um conjunto de iniciativas que envolve não apenas o policiamento, mas também a prevenção à criminalidade.

Axel se pronuncia sobre o assunto, mas evita críticas a Cláudio Castro

Em publicação feita no Twitter no início da noite desta quinta-feira (3), o prefeito Axel Grael confirmou que foi informado diretamente pelo prefeito Cláudio Castro sobre a mudança de responsabilidade do programa. Evitando fazer críticas ao governador, Axel disse que continuará investindo em segurança, mesmo sabendo que a responsabilidade disso é do governo estadual, por entender que essa é uma prioridade da atual gestão.

“Apesar de ser uma obrigação do Governo do Estado, a Segurança Pública é uma prioridade para os niteroienses e por isso se manterá como prioridade para a Prefeitura de Niterói. Os recursos investidos no Niterói Presente passarão a ser destinados a outras ações do Pacto Niterói contra a Violência. Também serão mantidas todas as demais iniciativas de apoio ao trabalho policial, como as de inteligência, câmeras de segurança e o cercamento eletrônico, além do trabalho de integração da administração municipal com todas as autoridades policiais que atuam na cidade”, informou Axel.

Iniciativa reduziu roubos de rua e de veículos em Niterói. Moradores temem pelo futuro

Criado em 2017, o programa se tornou conhecido pela redução considerável nos índices de roubos de rua e de veículos. Segundo dados do Instituto de Segurança Pública, ambos os crimes vinham caindo desde o início de 2018, sendo que o roubo de veículo em agosto deste ano foi o menor desde o surgimento do Niterói presente, ficando em 28 veículos roubados. Já os roubos de rua registraram a menor taxa desde março do ano passado, que teve 84 pessoas roubadas. Em agosto deste ano, o índice ficou em 102.

Pelo bons números apresentados, os moradores de Niterói temem que o programa substituto não consiga ser tão efetivo quanto o Niterói Presente. Em diversos grupos de WhatsApp destinado a moradores de bairros como São Francisco e Icaraí, pessoas explicam que o diferencial do antigo programa era a proximidade que os policiais tinham com os moradores, principalmente os mais idosos.

Há até a dúvida em saber como vai ficar esses mesmos grupos de WhatsApp com o fim do programa, pois muitos deles eram formados com o propósito de divulgar as ocorrências e fazer a aproximação do comando da equipe local com a população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze + 6 =