Niterói prendeu mais e apreendeu menos na comparação com 2017

Augusto Aguiar –

No primeiro trimestre desse ano, de acordo com os dados divulgados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), as polícias Civil e Militar de Niterói efetuaram mais prisões do que no mesmo período do ano passado. Na relação inversa está a apreensão de menores infratores, onde os números apresentaram redução. Em janeiro, fevereiro e março desse ano, na área coberta pelo 12º BPM foram efetuadas 561 prisões e, no mesmo período do ano passado, 514 autuações nas mais variadas modalidades de crimes, ou seja, aumento de pouco mais 9% (47 ocorrências). Mesmo com essa alta, os índices de algumas modalidades de crimes ainda sinalizam com alta, como roubo de veículos, a transeuntes e a roubos a estabelecimentos comerciais, por exemplo.

O número de apreensões de menores infratores diminuiu no primeiro trimestre do ano, com a polícia niteroiense registrando 79 ocorrências contra 117 no mesmo período do ano passado, redução de 32%. O total de autos de apreensões em 2017 foi de 466. Na totalização de todo o ano passado, as delegacias de Niterói registraram 2.289 autos de prisões em flagrante, 1% a menos do que o município vizinho, São Gonçalo, área de cobertura do 7º BPM, que somou 2.312 autos de prisões em flagrante, nos mais variados tipos de crimes. Em janeiro, fevereiro e março desse ano as delegacias de São Gonçalo registraram 492 autos de prisões em flagrante, 15% a menos do que no mesmo período do ano passado, onde no trimestre foram oficializados 585 casos. O número de ocorrências envolvendo menores infratores no primeiro trimestre desse ano, na mesma cidade, foi de 83, e no mesmo período do ano passado, 166. Portanto, a polícia voltou a apreender menos: 50% na comparação.

Em Niterói, o mês de julho do ano passado foi apontado como o que registrou maior número de prisões em flagrante (221 registros) e o de apreensões de menores infratores foi o mês de setembro (51 registros), ambos no segundo semestre. Na vizinha São Gonçalo, o mês de pico em relação ao número de prisões em flagrante no ano passado foi maio, com 249 ocorrências, e o de apreensões de menores infratores foi março, com 80 ocorrências.

Números do Rio apontam para redução no número de prisões
De acordo com o ISP, o mês de março marcou queda no número de prisões efetuadas pela polícia, mesmo com o período marcado pela intervenção federal, que começou oficialmente em 16 de fevereiro, com as polícias agindo de forma conjunta nas ruas, em pontos estratégicos da cidade.

Se o número de prisões e apreensões diminuiu, a violência aumentou no estado como um todo, com destaque para a incidência de crimes como homicídios dolosos, roubo de veículos, e roubos de transeuntes. Porém, especialistas ressaltam que a redução do número de prisões não significa ou justifica necessariamente aumento da criminalidade. Na totalização do mês de março, do ano passado, foram registrados 4.347 autos de prisões em flagrante, e no mesmo período desse ano 4.043, redução de quase 7%, e apreensões de menores: março de 2017: 845; e março de 2018: 642, queda de 24 %.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 + 14 =