Niterói poderá ter sistema drive-thru para lojas que vendem chocolate para a Páscoa

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgou uma pesquisa preocupante para o setor do comércio nesse período da Páscoa. As vendas registram uma queda bruta de 31,6% em relação ao mesmo período de 2019, de um faturamento de R$ 2,3 bilhões no ano passado esse número deve chegar aos R$ 1,5 bilhão em 2020. Em Niterói a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-Niterói) vai encaminhar para a Prefeitura uma proposta para autorizar a venda em sistema drivethru para lojas que trabalham com chocolates.

O presidente da CDL-Niterói, Luis Vieira, reforçou que a Páscoa tem um simbolismo muito grande para a sociedade e a expectativa de venda é que não consiga vender nem 20% do estoque comprado. Existe a expectativa que não consiga vender nem 20% do estoque comprado.

“As compras de Páscoa são feitas com antecipação e a validade é curta. Se os empresários não venderem esses estoques eles vão ‘quebrar’. Essa possibilidade de autorizar as lojas venderem em sistema drivethru pode ajudar esse segmento”, frisou.

Já o presidente da CNC, José Roberto Tadros, pontuou as consequências da retração econômica. “Os efeitos da pandemia de Covid-19 restringiram dramaticamente o fluxo de consumidores nas lojas. Há registro de quedas de 35% no comércio de rua e de 50% nos shopping centers ao longo do mês passado”, explicou.

Já a Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab) reforçou que está avaliando a situação, mas, considerando o cenário de constante mudança, não é possível precisar o impacto na demanda de produtos de Páscoa neste momento. Ainda de acordo com a nota as indústrias estão trabalhando em conjunto com os pontos de venda para garantir a organização e disponibilidade dos produtos, além de também estarem fortalecendo seus serviços de atendimento via internet e por delivery como alternativas aos consumidores para o acesso aos produtos.

É exatamente o que está acontecendo com o niteroiense Diogo Seixas, dono deuma loja que trabalha com ovos artesanais, ele percebe que os pedidos de Páscoa diminuíram. Além da queda dos pedidos, ele também perdeu os pontos fixos que vendia os chocolates e para inovar apostou em um diferencial: o ‘Delivery de Chocolate’.

“Eu entrego os chocolates na casa dos clientes sem cobrar nada por isso. Pode ser ovo de páscoa, brownie, bolo de pote e muitas outras gostosuras. Com isso eu pretendo incrementar as vendas. As pessoas estão com receio de gastar. Fico com pena dessa situação toda e o mercado está sofrendo com isso. Estamos sofrendo com essa crise”, comentou o empresário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × quatro =