Niterói já está no clima do Natal

Raquel Morais –

A proximidade do Natal já está fazendo Niterói respirar esse clima de magia e de sonhos. Na Praça Rádio Amador, em São Francisco, uma árvore de 50 metros de altura começou a ser montada e já se pode ver a grande base de ferro estruturada. O tradicional Natal na Rua abre a agenda natalina da cidade no dia 11 de novembro, às 19h, em frente ao Teatro Municipal, no Centro. Em sua 22ª edição, o evento contará com a participação da cantora Lucy Alves, junto ao músico Sérgio Chiavazzoli, com seu “Natal de Cavaquinho”. A celebração terá também a apresentação do Coro, orquestra, banda e conjunto de sinos da Primeira Igreja Batista de Niterói, além da esperada chegada do Papai Noel.

O ‘Natal de Luzes’ será lançado oficialmente no dia 30 de novembro e, aos poucos, a cidade será decorada em vários bairros. Outra novidade é que a campanha Papai Noel dos Correios já começou e ao todo 342 cartinhas para o Bom Velhinho estão à procura de padrinhos até o próximo dia 29.
Desde o final de semana os niteroienses já começaram a ver a grande estrutura metálica que será a base da árvore de natal em São Francisco. Parte da praça foi interditada para ação dos operários que trabalham na montagem. “Todos os anos eu gosto de ver a abertura oficial do Natal na frente do Teatro Municipal de Niterói e também gosto de trazer meus filhos pequenos para ver a árvore de Natal. Esse é um enfeito muito magnífico e que deve ser valorizado na cidade”, opinou a dona de casa Fernanda Pinto, de 32 anos.

Em entrevista em setembro desse ano, o novo presidente da Niterói Turismo e Lazer (Neltur), Paulo Roberto Novaes, adiantou que o Natal será ainda mais iluminado. Bairros da Zona Norte, como Santa Bárbara e Caramujo, também serão contemplados com decoração especial.

CARTINHAS PARA PAPAI NOEL
A campanha Papai Noel dos Correios começou ontem em 42 agências do Rio de Janeiro, inclusive em Niterói, no Centro da cidade. Ao todo são 342 cartinhas disponíveis para a adoção e os pedidos vão dos mais simples, como um casaco de moletom até os mais incrementados, como eletrônicos e uma geladeira. Para apadrinhar uma criança basta ir na agência de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, até o dia 29 de novembro para escolher a carta. O presente deve ser entregue na mesma unidade até dia 4 de dezembro, embalado em papel de presente e com o número do cadastro para o lado de fora.

A representante publicitária Gisele Rodrigues, de 35 anos, foi a primeira pessoa a escolher o ‘afilhadinho do coração’ na manhã de ontem. “Eu participo desse projeto desde 2012, quando fiquei sabendo dessa possibilidade de presentear e realizar o sonho de uma criança. Eu fui exatamente como essas crianças. Eu não ganhava presente do Papai Noel e tinha que agradecer quando tinha comida no prato para comer. Então eu acho linda essa iniciativa de alimentar o sonho dos pequenos”, contou a moradora de São Gonçalo, que escolheu um menino para presentear com uma bola de futebol.

E justamente sobre sonhos a gerente do projeto em Niterói, Rita Alvellos, contou que as histórias relatadas pelas crianças nas cartas para o Papai Noel deixam todos os funcionários mobilizados. “É um projeto que toca o coração das pessoas. São pedidos inusitados e simples e que podemos realizar. As cartinhas foram enviadas por escolas parceiras em que os professores incentivam os alunos para não deixar essa magia acabar. Mas recebemos muitas cartinhas de crianças que endereçam para o Polo Norte ou para a Casa do Papai Noel. É lindo e emocionante”, concluiu.

De acordo com os Correios, a campanha completa 30 anos de existência. Ao longo dessas três décadas, a campanha conseguiu atender aos pedidos de mais de 6 milhões de cartinhas. Essa corrente do bem une esforços de empresa, empregados e voluntários da sociedade para atender, dentro do possível, aos pedidos de presentes daqueles que se encontram em situação de vulnerabilidade social. A campanha Papai Noel dos Correios nasceu pela iniciativa de alguns empregados que, durante a rotina de trabalho, encontravam cartinhas escritas por crianças carentes para ao Papai Noel, endereçadas ao Polo Norte. Sensibilizados, alguns deles resolveram adotar as cartinhas e enviar os primeiros presentes. Com o passar do tempo, a ação foi ganhando proporção na empresa e, há 30 anos, acabou se transformando em um projeto corporativo dos Correios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *