Niterói: iniciativas de vanguarda contra a pandemia ajudaram a salvar vidas

Vítor D’Avilla

A cidade de Niterói colocou em prática, desde o começo da pandemia do novo coronavírus, uma série de iniciativas que possibilitaram que ficasse em uma situação menos complexa do que outros municípios do Estado. É possível destacar a inauguração do Hospital Oceânico e a interdição de praias, iniciativa pioneira no Brasil.

Além disso, a cidade também recebeu medidas como a sanitização de ruas e logradouros públicos, instalação de barreiras sanitárias, testagem em massa e fiscalização das medidas restritivas. De acordo com a Prefeitura de Niterói, o município possui uma das menores taxas de letalidade do país.

A partir do dia 18 de março, a Prefeitura determinou, por meio de decreto, o fechamento de shoppings, centros comerciais, restaurantes e clubes. Além disso, foi a primeira cidade em todo o país a determinar o bloqueio do acesso às praias. Apenas serviços essenciais puderam seguir funcionando. Em 23 de março, foi decretada a quarentena total.

No dia 20 daquele mês, ainda no começo da pandemia, o Município anunciou o arrendamento do Hospital Oceânico, em Piratininga, Região Oceânica da cidade, com 140 leitos para atender exclusivamente a pacientes infectados com o novo coronavírus. Todas as medidas foram postas em prática pelo Gabinete de Crise, montado para discutir ações na pandemia.

Ainda no começo da pandemia, Niterói iniciou a testagem em massa da população, com a aquisição de testes rápidos para Covid-19. Em atenção à proteção da população de rua, o Município também ampliou a capacidade de abrigos e arrendou vagas na rede hoteleira para abrigar essas pessoas.

A partir de abril, ao longo de todo o período de calamidade provocado pela pandemia, Niterói recebeu ações de sanitização com quaternário de amônio em ruas e logradouros públicos. O trabalho, coordenado pela Companhia de Limpeza Urbana de Niterói (CLIN) começou pelas comunidades, se estendendo pelas demais áreas do município.

A população carente foi uma das prioridades durante o isolamento social, provocado pelo novo coronavírus. Comunidades atendidas pelo programa Médico de Família receberam kits de higiene, contendo itens como álcool em gel, sabonete líquido, sabão em pó e água sanitária. Além disso, também houve distribuição de cestas básicas.

Essas ações foram essenciais para que, já a partir de maio, o município iniciasse o Plano de Transição Gradual para o Novo Normal, com retomada gradativa de setores da economia que ficaram paralisados por conta da pandemia. Atualmente, Niterói está no estágio amarelo 2; a perspectiva é que, com a vacinação, a cidade finalmente atinja o estágio verde.

Barreiras sanitárias

A restrição para a circulação de pessoas não aconteceu somente dentro da cidade de Niterói. Acessos ao município receberam barreiras sanitárias com aferição de temperatura corporal e comprovação de residência. Táxis e veículos de aplicativo, por exemplo, chegaram a ter restrições em corridas para a cidade. Cabe ressaltar que o uso de máscaras é obrigatório, com multa prevista em caso de descumprimento.

Economia

A pandemia atingiu em cheio a vida da maioria da população niteroiense. Empresas e pessoas tiveram perderam grande parte de seu sustento com o fechamento da maior parte do comércio, por conta das medidas de prevenção e combate à covid-19. Com isso, a cidade precisou desenvolver uma série de medidas para auxiliar financeiramente a população.

Entre essas medidas está o programa Renda Básica Temporária, que garantiu auxílio de R$ 500 a microempreendedores individuais (MEIs), famílias incluídas no Cadastro Único de Programas Sociais (CadÚnico) e os contemplados no programa Busca Ativa, que inclui catadores, vendedores ambulantes, trabalhadores da economia solidária e artesãos.

Para os empreendedores, foram criados os programas Empresa Cidadã 1 e 2, com objetivo de auxiliar no pagamento da folha salarial dos funcionários. Como contrapartida, as empresas que receberam o auxílio da Prefeitura de Niterói não poderiam reduzir postos de trabalho por até oito meses após a adesão.

O Município também criou outros dois programas. O Niterói Supera, realizado em parceria com o Banco do Brasil em que empresários podem obter crédito com juro zero, carência de seis meses e prazo para pagamento de até 36 vezes; e o Supera Mais, desenvolvido em parceria com a AgeRio para atender micro e pequenas empresas com faturamento anual de até R$ 1 milhão. Os juros serão assumidos pela Prefeitura de Niterói, e o tomador do empréstimo terá carência de até 10 meses para iniciar os pagamentos e possibilidade de quitação em até 36 vezes.

Vacina

Niterói assinou um memorando de intenções para aquisição da vacina Coronavac, desenvolvida em parceria entre o laboratório chinês Sinovac e o Instituto Butantan, que fica em São Paulo. De acordo com o prefeito Rodrigo Neves, o município é o primeiro do país a tomar tal medida. Ainda de acordo com ele, assim que houver aprovação do imunizante pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), será negociada a compra em caráter definitivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez + três =