Niterói e Maricá registram aumento na criminalidade

Augusto Aguiar –

Os dados da violência no Estado, referentes a janeiro, foram divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto de Segurança Pública (ISP). Os casos de homicídio doloso apresentaram redução de 18% em relação ao mesmo período do ano passado. Este foi o mês de janeiro com menor número de vítimas nos últimos sete anos e o segundo menor nos últimos 28 anos. As ocorrências de letalidade violenta (homicídio doloso, latrocínio, lesão corporal seguida de morte e morte por intervenção de agente do Estado) caíram 14% em relação a janeiro de 2018. Já nas mortes por intervenção de agente do Estado, o aumento em relação a janeiro do ano passado foi de três vítimas.

No primeiro mês desse ano, a cidade de Niterói – onde a jurisdição do 12º BPM se estende até Maricá – apresentou maior incidência em várias modalidades de crimes. Delitos, como estupros, estelionato, homicídios dolosos (com a intensão de matar), latrocínio (roubos de seguidos de morte), roubos de residência e de carga registraram elevação. Em janeiro desse ano as duas cidades registraram juntas 157 ocorrências de estelionato, contra 135 no mesmo período do ano passado, ou seja, crescimento de 13,3%. Os casos de estupro passaram de 15 em janeiro de 2018 para 19 no primeiro mês desse ano, homicídios dolosos subiram de 13, em janeiro do ano passado, para 18 esse ano. Os registros de latrocínio passaram de zero (janeiro de 2018) para 2 no mês passado. A incidência dos roubos de residência aumentou de 13 (janeiro de 2018) para 18 (janeiro de 2019), assim como os roubos de carga, de 16 registros (janeiro de 2018) para 31 no mês passado.

Os crimes de roubos a estabelecimento comercial, de transeunte, de celular e de veículo, e de coletivo apresentaram redução, de acordo com os mesmos dados do período. Os roubos a estabelecimentos caíram de 35 (janeiro de 2018) para 29 (janeiro de 2019), roubos a transeuntes tiveram uma redução expressiva de 315%, passando de 413 para 283 no mesmo período, roubos de celulares (-13,9%), caindo de 79 para 68, de veículos (queda de 195 para 176), ou seja, redução de 9,7%, e roubos em coletivos, de 22 registros para 16.

Em São Gonçalo, roubo de carga teve redução
Mesmo num patamar ainda considerado alto por especialistas de todo Estado, o roubo de cargas em São Gonçalo deu sinais de redução, segundo os números do ISP, com queda de 23,9%, passando de 180 em janeiro de 2018 para 137 no mês passado. A região é coberta pelo 7º BPM. Também, dentro de uma margem elevada, os homicídios dolosos reduziram de 36 para 28 na mesma comparação. Outras quedas na comparação janeiro 2018/2019 foram: roubos a estabelecimentos comerciais, de 53 registros para 38, roubos de residências, de 10 casos para 5, e de transeuntes (redução de 13,9%) de 101 para 87.

Outras quedas significativas foram a de crimes de roubos de aparelhos celulares, que apresentaram redução de 201%, com queda de 140 para 37 registros, além de roubos de veículos, de 603 para 479 (-20,6%). Os crimes de estelionato tiveram elevação, de 90 para 115 registros (27,8%), assim como de latrocínio, de 1 para 3 registros, e de roubos de coletivos, de 54 para 78 (44,4%). Em Itaboraí, jurisdição do 35º BPM, as modalidades de crimes que sinalizaram com redução, entre outras, foram: estelionato (50 ocorrências contra 20), roubos a estabelecimento comercial (19 para 10), roubos de residências (5 para 3), roubos de transeuntes (123 para 104), roubos de cargas (15 para 14), roubos de veículos (140 para 87) e roubos de coletivos (de 50 para 20).

Na Região dos Lagos crescem apreensões de drogas
Os números do ISP relacionados ao 25º BPM (Cabo Frio) – que abrange também São Pedro da Aldeia, Iguaba Grande, Araruama, Saquarema, Bacaxá, Jaconé, Sampaio Correa, Armação de Búzios e Arraial do Cabo – sinalizaram positivamente com a redução de várias modalidades de crimes. Os dados apontam ainda que a incidência de ocorrências relacionadas ao crime de tráfico de drogas também cresce, com o número de apreensões/tráfico de entorpecentes também se elevando.

Nessa modalidade, a estatística do mês passado indicou que 94 ocorrências foram registradas contra 77 no mesmo período do ano passado (aumento da ação policial diante da mancha criminal, de 22,1%). Os crimes de estelionato baixaram na região, de 19 em janeiro de 2019 para 84 em 2018, queda de 17,9%, roubos de estabelecimento comercial (de 13 para 9), estupros (de 32 para 15), homicídio doloso (de 26 para 20), roubos a transeuntes (de 112 para 98), com queda de 14,3%, roubos de celular (de 53 para 33), queda de 60,6%, roubos de carga (de 4 para 2), e roubo de coletivos (de 7 para 2). Entre as modalidades que sinalizaram com alta destaca-se: latrocínio (de zero para 1).

Algumas das incidências de crimes no estado em janeiro de 2019: estelionato (3.125), estupro (459), homicídio doloso (386), latrocínio (15), roubo a estabelecimento comercial (432), roubo de residência (116), roubo de transeuntes (7.471), roubos de carga (740), roubos de celular (2.420), roubo de veículos (3.786), e roubos de coletivo (1.339).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *