Niterói e Maricá receberão Patrulha Maria da Penha até junho

Pedro Conforte –

Até junho tanto Niterói quanto Maricá receberão a ‘Patrulha Maria da Penha’, para atender e socorrer exclusivamente vítimas de violência doméstica. Além das viaturas devidamente adesivadas, o comandante do 12º BPM (Niterói), tenente-coronel Sylvio Guerra, contou que uma sala está sendo preparada dentro do batalhão para prestar atendimentos às vítimas. A cada cinco dias uma mulher foi vítima de feminicídio no Estado e a cada 24 horas, doze mulheres foram estupradas, segundo dados de 2018 do Instituto de Segurança Pública (ISP).

Segundo o comandante, pelo menos uma policial fará parte da patrulha. “Hoje, já existem as Guardiãs da Vida, um projeto similar no batalhão, mas estamos melhorando evoluindo este projeto para Patrulha Maria da Penha. Estamos adesivando as viaturas e adequando uma sala para prestar o acompanhamento após a mulher ser vítima. Vamos deixar à disposição o telefone dos policiais para a vítima ter um contato direto”, contou Guerra.

O anúncio foi feito ontem durante reunião do Conselho de Segurança Pública, na Câmara de Dirigentes Logistas (CDL), no Centro de Niterói. No encontro, foi divulgado que no dia 17 de maio acontecerá na Câmara dos Vereadores uma audiência pública para debater as medidas de combate à violência contra a mulher na cidade. A audiência acontecerá a partir das 17 horas.

A décima quarta edição do Dossiê Mulher, divulgada nesta semana, revela que, em termos de violência física, a lesão corporal foi o crime que mais atingiu as mulheres. Foram 41.344 casos, o que indica que, a cada 24 horas, quatro mulheres foram vítimas desse crime. O estudo mostra que, no mesmo período, quatro mulheres vítimas de ameaça e, pelo menos, uma mulher sofre importunação ofensiva ao pudor. No ano passado, 4.543 casos de estupro de mulheres foram registrados no Estado do Rio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *