Niterói debate convivência no trânsito

Augusto Aguiar

Com o tema “Década Mundial de Ações Para a Segurança no Trânsito – 2011/2020: Eu sou + 1 por um trânsito + seguro”, começou neste domingo (18), e vai até o dia 25, a Campanha Semana Nacional de Trânsito em Niterói. O evento tem como finalidade conscientizar a sociedade com objetivo de valorizar a vida, respeitando o direito de ir e vir dos cidadãos. De acordo com a NitTrans, o foco deste ano é a mudança do comportamento humano como ação principal para redução de acidentes. Até o dia 25 estão previstas diversas atividades educativas, como palestras, passeios, e ações preventivas. A campanha faz parte das ações nacionais da “Década para a Redução das Mortes no Trânsito”. A Organização das Nações Unidas (ONU), por meio de resolução instituiu o período de 2011 a 2020 para redução de 50% no número de feridos e mortos no trânsito.

“É importante alertar que para mudar esse quadro, dependemos da mudança de atitude de todos no trânsito (pedestre, ciclistas, passageiros, condutores, e agentes de trânsito). Em Niterói, a campanha reforça ainda mais o trabalho conscientização que vem sendo realizado, e que está, de acordo com os recentes dados divulgados, refletindo positivamente na redução do número de infrações e autuações”, disse trecho de folder da NitTrans. Como A Tribuna já havia antecipado, de janeiro a julho desse ano ocorreram 23.145 infrações registradas que resultaram em multas, número 72% menor do que no mesmo período do ano passado. Essa representativa redução deveu-se, segundo a NitTrans, ao trabalho de educação para o trânsito desenvolvido na cidade sobretudo nos últimos meses.

Esse ano, infrações como estacionar em guias rebaixadas, entrada e saída de automóveis representaram 390 autuações, deixar de usar cinto de segurança, 360 autuações, estacionar em vagas para deficientes físico (294), estacionar sobre ciclovia e ciclofaixas (195). De acordo com a NitTrans, com orçamento de cerca de R$ 20 milhões este ano, entre 30 e 40% disto é usado em educação para o trânsito. “O Código Brasileiro de Trânsito determina que o arrecadado em multas seja usado exclusivamente em fiscalização, engenharia de tráfego, sinalização e educação. No ano passado, o órgão arrecadou, em multas, R$ 1.603.802,69. Além disso, há R$ 5.761.529,34 em autuações não pagas. Temos na educação um grande instrumento de conscientização”, disse o presidente da NitTrans, Paulo Afonso Cunha.

Segundo Priscila Rocha, diretora do Departamento de Educação Para o Trânsito do órgão, há quatro anos, são feitas palestras em escolas públicas municipais e estaduais e nas particulares. “Ministramos para alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio, dos 5 aos 16 anos. Já estivemos em mais de 200 escolas, sendo em mais de 50 somente este ano. De abril a julho capacitamos 100 professores em 25 horas-aula para passar as orientações em suas disciplinas. Durante o ano também distribuímos panfletos nas ruas e trabalhamos em parceria com o programa Niterói de Bicicleta, para orientar os ciclistas. Precisamos nos colocar no lugar do outro”, afirmou Priscila.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 3 =