Niterói apresenta projetos para próximos dois anos

Raquel Morais –

A revitalização do Cinema Icaraí, através da municipalização do espaço, reforma da Praça Arariboia, no Centro de Niterói, e implantação de 60 quilômetros de ciclovias na Região Oceânica estão entre os desafios da prefeitura apresentados ontem no Plano de Metas para os próximos dois anos. Nos eixos Social, Infraestrutura e Desenvolvimento Sustentável e Gestão Eficiente e Transparente foram apresentadas mais de 200 metas que serão desenvolvidas até ano que vem.

O mapa engloba todas as áreas da administração pública da educação até tecnologia passando pela saúde, infraestrutura e cultura, por exemplo. Na área da educação serão entregues mais duas Unidades Municipais de Educação Infantil (Umei) – Vale Feliz e Capim Melado; além da Escola Municipal Fagundes Varela (no Engenho do Mato). Cinco escolas serão climatizadas (Levi Carvalho, Dom José Pereira Alves, Jacinta Medela, Djalma Coutinho e Núcleo Avançado de Educação Infantil da Vila Ipiranga). Os Cieps Anísio Teixeira, no Fonseca, e Esther Botelho, no Cantagalo, serão entregues como Espaço Nova Geração que vai atender mais de dois mil alunos entre 6 e 29 anos.

A área de saúde também foi muito bem elaborada com a previsão de entrega, em 2020, do Centro de Imagem no Hospital Municipal Carlos Tortelly, conhecido como CPN, que fica no Centro de Niterói. Esse espaço para exames que precisam de imagens terá salas de radiologia, mamografia, tomografia entre outros investimentos. A tão sonhada reforma da Maternidade Alzira Reis, em Jurujuba, também foi enfatizada para ser concluída e entregue no ano que vem. Além de reformas de outras unidades e implantação do Sistema de Prontuário Eletrônico para facilitar o atendimento e até mesmo economizar custos com impressão de papel.

Outro comprometimento foi com a entrega da nova plataforma digital de Santa Bárbara, além da realização da Segunda Edição do NitTech (Niterói e Tecnologia) para disseminar a importância da dos equipamentos eletrônicos através de palestras, debates e até mesmo competições de games e de robótica. Economia solidária, acolhimento de população de rua, programas de proteção animal e a restauração da Concha Acústica, que foi anunciada no ano passado, também fizeram parte do planejamento apresentado ontem. O secretário Executivo do Município, Axel Grael, também explicou um pouco sobre o Niterói Jovem Ecosocial que prevê a parceria com 400 jovens para trabalhar com reflorestamento de encostas e trilhas por exemplo, com pagamento de bolsa-auxílio. A questão da habitação também foi discutida e até 2020 serão entregues dois empreendimentos no Badu e na Ititioca, além da entrega de mais de duas mil unidades habitacionais e regularização fundiária em duas comunidades: São José e Igrejinha do Caramujo.

O prefeito Rodrigo Neves se emocionou durante o discurso e ressaltou os problemas que enfrentam administrações que faltam diálogo entre as instituições, que tem como maior prejuízo o desenvolvimento e quem paga esse preço é a sociedade. “Temos um ambiente muito bom de diálogo apesar da independência das instituições. Três coisas são imensuráveis no século 21: mudanças climáticas, a quarta revolução da inteligência artificial que é independente da nossa vontade e a terceira que é o desejo de protagonismo das mulheres e dos negros em se manifestarem”, comentou.

Neves ainda frisou que uma cidade não é constituída de prefeito e de secretários e sim pela sua gente. “A minha força é de Deus e do povo de Niterói. Não é possível a sociedade prosperar em um ambiente de ódio e sem esperança. Esse evento de hoje cria um ânimo e cria um ambiente de convergência em várias áreas da cidade. Enquanto muitas cidades estão de cabeça para baixo a nossa cidade está de cabeça para cima”, completou.

CULTURA
No âmbito da cultura, os projetos apresentados deixaram brilho nos olhos dos representantes do poder público. A municipalização do Cinema Icaraí promete resgatar a história, que também será sede da Orquestra Sinfônica Nacional da UFF. Modernização dos equipamentos culturais para atender os requisitos legais contra incêndio e pânico e a reforma da Casa Norival de Freitas, no Centro, além da implantação da Escola de Música Arthur Maia, que também estão nos projetos. Além disso, estão previstos dois lançamentos importantes: inauguração do auditório do Museu de Cinema e o próprio museu.

MEIO AMBIENTE
Como não poderia faltar foram expostas iniciativas para desenvolver de a cidade de forma mais sustentável, como por exemplo a recuperação de ecossistemas. Entre os projetos estão a conclusão dos estudos hidrodinâmicos do Sistema Lagunas Itaipu-Piratininga e do Projeto Parque Orla Piratininga, já que os estudos de estabilização do calçadão que foi destruído na ressaca de 2016 estão sendo feitos e as obras começam ainda esse ano. Além disso, criação do Parque Natural Municipal da Água Escondida. Expansão do Niterói de Bicicleta, ampliação da Marquês do Paraná, obras de macrodrenagem e de pavimentação, contenção de encostas em 54 pontos prioritários e R$ 424 milhões para novas contenções de encostas até ano que vem fazem parte do planejamento de execução.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 + treze =