Niterói agenda meta de 100 mil vacinados até o fim de abril

Crédito concedido pelos bancos deve crescer 8% este ano, estima BC

O saldo do crédito concedido pelos bancos deve crescer 8% este ano, de acordo com o Relatório de Inflação, publicação trimestral do Banco Central (BC), divulgado ontem. A estimativa é maior do que a divulgada no relatório anterior, de 7,8%. “O aumento decorre da reavaliação na trajetória esperada para o crédito direcionado, enquanto a expectativa de evolução do crédito livre foi mantida”, diz o BC.

Para o crédito livre, a projeção de expansão é 11,1%, com aumentos de 12% e 10% para os saldos de empréstimos a pessoas físicas e jurídicas, respectivamente. A expectativa para o crédito direcionado é de aumento de 3,7% em 2021, com alta de 11% para as pessoas físicas e redução de 7% para as empresas.

O crédito livre é aquele em que os bancos têm autonomia para emprestar o dinheiro captado no mercado e definir as taxas de juros cobradas dos clientes. Já o crédito direcionado tem regras definidas pelo governo, e é destinado, basicamente, aos setores habitacional, rural, de infraestrutura e ao microcrédito.

Em 2020, o saldo do crédito cresceu 15,7%, com alta de 11,2% para famílias e 21,9% para empresas. Para 2021, essa projeção de 8% vem do crescimento de 11,5% no crédito para famílias e de 3,4% para pessoas jurídicas.

“As projeções de crescimento do estoque total de crédito para 2021, assim como no Relatório de Inflação de dezembro de 2020, consideram um cenário de normalização das condições de oferta e demanda de crédito, com a retomada do financiamento não bancário pelas grandes empresas e a volta do protagonismo das famílias no Sistema Financeiro Nacional”, diz o relatório.

Niterói agenda meta de 100 mil vacinados até o fim de abril

Já tendo passado dos 55 mil vacinados com a primeira dose e 17,5 mil com a segunda, a Prefeitura de Niterói agora passará a fazer as aplicações também aos sábados (8h às 12h) e até mesmo na Sexta Feira Santa, esperando atender até o dia 1º de maio aqueles com idades entre 60 e 69 anos, uma faixa etária formada por 55.265 pessoas.

Hoje e no sábado serão atendidos os que estão na faixa dos 72 anos. Os de 71 anos serão atendidos na segunda-feira e encerrando o ciclo dos nascidos a partir de 1951 os postos atenderão estes maiores de 70 anos, na quarta (dia 31) e quinta-feira (1º de abril). Esta faixa etária

é composta por 36,4 mil moradores na cidade.

A vez dos sexagenários

Com muitos deles ainda integrando a “força de trabalho” e portanto com mais necessidade de circulação externa, o pessoal de 69 a 60 anos será vacinado durante o mês de abril. Apenas uma parte dos 60 terá de esperar pelo sábado, dia 1º de maio.

Veja a tabela liberada pela Prefeitura, por faixa de idade:

69 anos – quinta e sexta-feira, dias 2 e 3. Não haverá vacinação no sábado.

  • 68 anos – segunda e terça-feira, dias 5 e 6.
  • 67 anos – quarta e quinta, dias sete e oito.
  • 66 anos – sexta e sábado, dias 9 e 10.
  • A partir daí serão reservados três dias para cada faixa de idade:
  • 65 anos – dias 12, 13 e 14 (segunda, terça e quarta-feira)
  • 64 anos – dias 15, 16 e 17 (quinta, sexta e sábado)
  • 63 anos – dias 19,20 e 21 (segunda, terça e quarta-feira)
  • 62 anos – dias 22, 23 e 24 (quinta, sexta e sábado)
  • 61 anos – dias 26, 27 e 28 (segunda, terça e quarta)
  • 60 anos- dias 29 e 30 de abril e no sábado, 1º de Maio. Variação no movimento A faixa seguinte, dos 59 aos 50 anos é mais numerosa, reunindo 68 mil habitantes. São 12 mil além dos que estão na faixa dos 70 anos. A vacinação em Niterói começou no dia 20 de janeiro. O recebimento de doses foi lento e houve até uma paralisação no trabalho face a não remessa de doses para as cidades. Agora grande número dos que se dirigirão aos postos vão em busca da segunda dose. Estes representam 1/3 dos que receberam a primeira dose. Pelos dados de ontem 54,4 receberam a primeira e 17 mil receberam a segunda. Praticamente encerrou-se a fase de vacinação dos trabalhadores em saúde (17,4 mil receberam a primeira e 12 mil, a segunda). Nesta semana (até o fim do expediente de quarta-feira), apenas seis buscaram a primeira dose e 105, a segunda dose.
  • Também praticamente zerou o trabalho com idosos internados em abrigos. E baixou significativamente a procura da prestação do serviço para acamados. Foram 323 (primeira) e 178 na segunda. Antes haviam recebido vacinação 4,5 mil (fase um) e 1,8 mil (fase dois).

Para festejar

Pelos dados apresentados no Portal da Transparência, Niterói superou a barreira dos 10% da sua população, superando o Amazonas, colocada como centro das atenções nacionais de socorro e de eficiência neste combate a esta doença.

Os Estados de São Paulo e do Mato Grosso alcançaram 8,1%, enquanto a média nacional está em 6,52 e a do Estado do Rio em 5,2%.

O prefeito Axel Grael conseguiu uma expressiva marca de bom desempenho e Niterói já estaria bem à frente se o Governo Federal não houvesse barrado a compra 1,1 milhão planejada por Rodrigo Neves quando ainda estava na Prefeitura, tendo Axel como secretário de Planejamento e Gestão.

E o isolamento?

Mesmo tendo registrado menos de 50% de isolamento social, com o avanço da vacinação Niterói conseguiu baixar as estatísticas de registros de casos e de óbitos.

O percentual deveria ser maior pois muitas atividades estão restritas ou paralisadas. Não há aulas e nem a circulação de milhares de estudantes de fora que estudam na UFF.

O endurecimento de medidas na próxima semana é admitido pelas autoridades como capaz de refrear a expansão do processo de contaminação.

É um tempo de reflexão sobre a pandemia e o significado da Semana Santa, mas também um teste para se medir o nível de consciência dos que engrossarão uma longa ociosidade, com igrejas fechadas e a televisão com programas horrorosos de desamor ao próximo.

Sem feriado, mas com política

O pessoal do “Centrão” recebeu um puxão de orelha do presidente da Câmara Federal, Arthur Lira, preocupado com uma debandada dos que passaram a apoiar o governo após atingida a primeira metade do mandato atuaal.

Muita gente quer continuar mamando nas tetas do governo, mas pronta a abandonar o curral quando estiver chegando o cuidador da vaca leiteira, aquela figura que periodicamente ostenta um título de eleitor.

O dono da fazenda está perdidinho com a despensa vazia, sem o necessário estoque de vacinas humanas para a festa que pretende realizar no auge da campanha eleitoral.

Ninguém vai esquecer o fogo que ceifou 310 mil vidas ou as dores sofridas por mais de 12 milhões que não receberam imunizantes e nem mesmo adubo para favorecer a produção na terra devastada.

Os ladrões de leite temem o castigo eleitoral dos empobrecidos e enlutados.

Acostumados à alegria do mar, não querem afundar com o Titanic.

Enquanto isto há muita gente dando tudo de si para salvar vidas e evitar danos coletivos em meio à “queimada”, numa ação de amor próximo e não a bens materiais ou políticos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × um =