Nem o atraso tirou a empolgação da Unidos da Ponte

Um acidente envolvendo uma alegoria da Em Cima da Hora, na dispersão da Marques de Sapucaí, atrasou o início do desfile da Unidos da Ponte. Mas nem isso foi capaz de tirar o ânimo da escola de samba azul e branca.

Assinado pelos carnavalescos Guilherme Diniz e Rodrigo Marques, o enredo trouxe uma homenagem a Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, a Santa Dulce dos Pobres. O desfile prestou homenagem a uma mulher conhecida por suas peregrinações pregando o amor e a paz.

O ritmo da bateria da agremiação, junto com a entrada de cada alegoria fez o público suspirar, gritar e aplaudir nas arquibancadas do Sambódromo.

O carro abre-alas mostrou o contato da Irmã Dulce com a vida religiosa, e como isso se tornou um catalisador da obra da santa para ajudar milhares de pessoas. Detalhes mostrando Cristo crucificando impressionaram na alegoria.

Na sequência, uma infelicidade no 1º casal de Mestre Sala e Porta Bandeira, quando Camyla Nascimento acabou caindo. Nada que abalou o andamento e a alegria dos componentes da escola, que saiu aplaudida da avenida.

Confira fotos de como foi o cotejo:

Apesar da resposta positiva dos foliões, o mesmo não deve ocorrer no julgamento. A agremiação estourou o tempo máximo de 50 minutos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.