Não se aporrinhe com viagens na virada do ano

Fernando de Farias Mello –

Estamos no período de maior movimentação nos aeroportos e isso nos traz lembranças de bons momentos, visitas a parentes, amigos, conhecer vários países e etc. O mundo do turismo gera um volume enorme de negócios que vão desde a venda de passagens, reservas de hotéis e deslocamentos até vistos no passaporte.


No entanto, no fim de ano, com as tradicionais Festas de Natal e Ano Novo, acrescido do evento férias escolares, pegar um avião é quase uma estressante aventura. A começar pelos milhões de passageiros utilizando os aeroportos (filas gigantescas), causando um congestionamento natural.
Isso é um efeito mundial.


Mas quem quiser evitar aporrinhações extras deve ter muito cuidado na compra de passagens ou pacotes. Vários são os sites especializados, oferecendo parcelamento o que exige do consumidor atenção máxima, principalmente com as taxas de embarque e outras que inventam. A passagem aparece com um preço tentador, mas no segundo passo surgem os tais acréscimos. O consumidor desatento, empolgado com o valor da passagem, acaba engolindo os valores extras.


Importante ter em mente que a empresa que vende um pacote para um país estrangeiro tem muitas obrigações além da reserva de hotéis e passeios. Como já tive conhecimento, uma dessas empresas que ofertava pacotes para Orlando (EUA) e com telefone exclusivo para ligação internacional, ficou totalmente omissa quando passou um furacão na cidade. Deixou os clientes na mão.


O hotel onde se hospedou a família com filhos pequenos foi atingido e a empresa sequer atendeu aos telefonemas, e-mails, etc, abandonando a família totalmente sem assistência em um país estrangeiro naquelas condições.


Com ajuda de um casal americano, eles conseguiram outro hotel, bem mais caro e quando voltaram para o Brasil processaram a empresa e receberam indenizações fixadas pelo judiciário. Não só a empresa foi obrigada a reembolsar as diferenças de custo, como também foi condenada por dano moral, tendo que indenizar a família.


O consumidor que comprou pacotes de fim de ano deve se informar quanto à extensão de seus direitos e, em caso de dúvida, estamos à disposição no e-mail fmelloadv@hotmail.com.


Atrasos nos vôos e reservas que desaparecem quando você já está fazendo o check in são as ações mais comuns no judiciário. Um drama que se repete principalmente nessa época.


Com relação às empresas aéreas, a fome e a ganância só levam prejuízos aos consumidores, a vítima número um. Sempre ele! Os atrasos por culpa exclusiva das companhias aéreas estão muito comuns, principalmente depois da falência da colombiana Avianca. Não era uma empresa pequena, muito pelo contrário. Encerrou suas operações no Brasil e as outras companhias tiveram que absorver os passageiros que já haviam comprado passagens.

Só que as companhias alegam que não conseguiram atender a demanda da Avianca – apesar de terem programado seis mil voos extras – e, claro, o preço das passagens subiu. Soma-se isso o fato da alta do dólar (mais de 60% dos itens da aviação são fixados em dólar) fizeram com que o preço subisse muito e, veja você, o volume de passageiros cresceu.
Portanto, atenção na hora da compra das passagens e pacotes. Se ocorrer algum contratempo, já sabe, obtenha provas de tudo. Documentos, notas fiscais, fotos são excelentes evidências, já que a prova testemunhal somente deve ser usada em último caso.
Feliz Natal e excelente viagem!


*Advogado e-mail: fmelloadv@hotmail.com
Site: fariasmelloberanger.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *