Nanci envia à Câmara de SG proposta de reajuste de 7% aos servidores

Anderson Carvalho –

O prefeito de São Gonçalo, José Luiz Nanci, enviou na última quinta-feira à Câmara Municipal mensagem com projeto de lei que concede reajuste de 7,09% sobre os salários dos servidores públicos municipais na administração direta e indireta. O percentual será aplicado sobre o vencimento básico referente ao mês de novembro, data base da categoria, conforme determina a Lei Orgânica Municipal. A proposta já fora apresentada semana passada ao Sindicato dos Servidores Públicos Efetivos do Município de São Gonçalo (Sindspef-SG).

O projeto também prevê reajuste de 5,54% para os professores, além do reajuste de 7,09%, totalizando 13,02%. “Nosso objetivo é reverter todas essas conquistas em prestações de serviços à população e melhorias para os funcionários da Prefeitura. São Gonçalo ficou abandonado nos últimos anos. Não houve planejamento para a cidade crescer de forma sustentável”, afirmou Nanci.

O chefe do Executivo disse ainda que a prefeitura vem se esforçando em melhorar as condições de trabalho, mesmo em um momento na economia do país. Ele determinou aos técnicos do governo buscar as condições necessárias no orçamento para conceder o reajuste. “Valorizá-los é uma das propostas do meu governo, no entanto São Gonçalo possui muitas demandas a serem solucionadas”, garantiu Nanci, acrescentando que se esforça em conceder todos os adicionais de qualificação e enquadramento de nível aos funcionários.

Procurado, o Sindispef-SG considerou a proposta aquém das expectativas da categoria. “Todo e qualquer reajuste salarial é bem-visto pelo trabalhador. Porém, vale ressaltar que esses 7,09% de aumento anunciado pelo prefeito está muito aquém das expectativas daquilo que nossos servidores merecem, que é um salário digno e respeitoso. Vale lembrar que o servidor do município de São Gonçalo há cinco anos sem reajuste e aumento salarial. Um levantamento feito pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudo(Dieese) comprova que a perda dos servidores é de 25% nos últimos anos. É preciso que o Executivo entenda que a passagem do servidor público também está defasada. Alguns funcionários estão tirando dinheiro do próprio bolso para trabalhar. O salário-mínimo no Brasil é de R$ 954 e alguns servidores de São Gonçalo recebem metade disso”, disse Leyla Isabeth Lopes, presidente do sindicato. No próximo dia 16, os representantes da entidade terão uma reunião com o prefeito para discutir o Plano de Cargos e Salários, a aplicação da Lei do Assédio Moral e a correção das retiradas de gratificação por produtividade do servidor.

O Sindicato Estadual dos Profissionais de Ensino (Sepe) – Núcleo São Gonçalo, considerou também insuficiente a proposta. “Esse reajuste chega ao piso nacional de 2015. É preciso atualizá-lo. Em 14 de março, o prefeito tinha proposto reajuste com escalonamento. Chegaríamos este ano ao piso de 2015 e no ano que vem, até 2018. Em 2020, seria atualizado”, explicou Michele Alvarenga, coordenadora do sindicato. Os profissionais de educação estão em greve desde o dia 3 de agosto passado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez + seis =