Na Zona Sul de Niterói, ainda mais insegurança

Augusto Aguiar –

Nem bem os moradores conseguiram se refazer da tensão causada por uma sequência de ocorrências de roubos a estabelecimentos comerciais, a motoristas e transeuntes, que marcaram vários dias da semana passada (a incidência vem de muito antes), a semana começou com novos casos de roubos, sobretudo na Zona Sul da cidade. No início da tarde desta segunda-feira (04), por exemplo, mesmo com informe que o patrulhamento estaria intensificado em diversas vias, pelo menos um registro de roubo teria ocorrido a um motorista, na esquina das ruas Cinco de Julho com João Pessoa, no Jardim Alcântara.

“Basta de violência em Niterói”, “Tá complicado sair de casa. A gente sai pra trabalhar e não sabemos se vamos voltar”, “Tá demais hein?”, “Botar 1 milhão em Copacabana no Carnaval é fácil né, agora ir pra rua lutar pelo seu direito de legítima defesa através de um instrumento, ninguém quer… entendam de uma vez por todas, Para de acreditar no governo. Nenhuma polícia no mundo vai te proteger 24 hs por dia…a segurança pública começa dentro da sua própria casa”, “Todo dia um”, foram alguns dos comentários postados nas redes sociais sobre a incidência de roubos na Zona Sul da cidade, que parece ter se multiplicado.

Ainda no início da tarde de segunda, ondas de boato davam conta que um suposto crime de homicídio havia sido cometido na Rua Miguel de Frias, uma das mais conhecidas do bairro de Icaraí. Por conta desse boato, muita gente até alterou a rotina de passar pela via para não se deparar com o suposto fato no local. No domingo, moradores ainda se refaziam de mais um susto, quando um policial e um menor infrator armado trocaram tiros na Rua Mariz e Barros e Avenida Sete de Setembro. Tiros, efetuados a esmo, pelo infrator que cometia assaltos no bairro, acertaram a fachada e até janelas de imóveis. O menor foi baleado nas costas e internado no Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal). “Ele, para não ser detido, atirou a esmo e acabou acertando duas vezes a parede do prédio onde moramos, quebrando duas janelas (…) As balas não chegaram a entrar aqui mas…
A violência não está mais perto, ela já entrou dentro de casa. Muito triste por nossa cidade, pelas pessoas que aqui moram e por nós”, afirmou uma moradora do bairro.

Segundo o presidente do Conselho Comunitário de Segurança de Niterói, Leandro Santiago, a segurança saiu da capacidade da PM de agir. Ele disse que o problema está na Justiça. “Se é preso com 17 anos, quando tiver 18 sai limpinho”, criticou. Para Leandro, Niterói já está sentido a convulsão social na área de segurança há tempo.

“Este processo de limpeza e reestruturação da polícia não adiantará nada se não houver mudanças no código penal. Não temos sistemas prisionais e do jeito que está vai explodir muita violência ainda na cidade”, lamentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis + 13 =