Museu de Arte Sacra é inaugurado em Maricá

O Museu de Arte Sacra foi inaugurado pela Matriz de Nossa Senhora do Amparo em Maricá. Construída pelos escravos, feita de pedra e barro e paredes de rara espessura, assenta-se sobre uma elevação de 3 metros, como proteção. Em estilo colonial, seu interior lembra o rococó, altar-mor, em transição do barroco para o neoclássico

O nome escolhido “Matriz Museu”, foi uma inspiração do Pároco das época, Cônego Joaquim Antônio de Carvalho Batalha, que ao concluir as obras de Restauração da Matriz, com o Prof. Adail Bento da Costa, relatou no Livro de Tombo que a Igreja deveria ser chamada de “Matriz Museu” pelo belo trabalho concluído de restauração, e também por conter em seu patrimônio artístico as mais diferentes belezas da Arte Cristã, tanto na Arquitetura, quanto no Acervo Sacro.

O “Museu Paroquial: “Matriz Museu”, conta a trajetória de fé do Povo de Maricá”, disse o padre Ricardo Dias, que aproveitou para pedir aos fiéis a continuidade da colaborar com as obras de restauração da Matriz. Divulgou ainda as Hashtag #JUNTOSSOMOS+ #MATRIZMUSEU, nas quais, o paroquiano poderá divulgar a obra em suas Redes Sociais.

Após longos anos de pesquisa e depois de conseguir reunir o pouco do que sobrou dos tesouros da Paróquia, eles estão hoje, preservados, para que a as futuras gerações de Maricá possam contemplar a beleza do passado e se inspirar no presente, edificando seu futuro.

O Acervo do Museu traz uma Peregrinação de Fé desde a passagem de São José de Anchieta, ao realizar na Lagoa de Maricá A Pesca Milagrosa; a criação da Fazenda São Bento, marcando o desenvolvimento dessas terras Maricaenses; o surgimento da Freguesia de Nossa Senhora do Amparo, a coragem do 3° Pároco de Maricá, Pe. Vicente Ferreira Noronha, que deu origem ao assentamento da Cidade de Maricá, com a construção da Nova Igreja Matriz Nossa Senhora do Amparo, que desenrolou com a criação da Vila de Santa Maria de Maricá; sem falar do lindo testemunho daquele que nos inspirou para a criação desse Museu de Arte Sacra, o Cônego Joaquim Antônio de Carvalho Batalha, o Padre Batalha, que reuniu as mais belas obras de Arte Sacra na Igreja Matriz , a sua menina dos olhos de ouro.

A Igreja Nossa Senhora do Amparo surgiu da velha Paróquia de Santo Antônio de Sá, atual Igreja de São José, através do Alvará de 12 de janeiro de 1775, constituindo-se a atual Paróquia de Nossa Senhora do Amparo. Em 08 de dezembro de 1802, a imagem de Nossa Senhora do Amparo foi abençoada e mudou de lugar, saindo da Capela de São José de Imbassaí, hoje Paróquia São José de Imbassaí.

O Padre Batalha, na entrega da obra, entregou a torre do sino aos conhecimentos técnicos do artista brasileiro, professor Adail Bento Costa. O monumento de arte foi realizado com auxílio dos governos estadual, municipal e associações do povo, em 20 de abril de 1952.

Posteriormente o Padre Manuel Rodrigues da Cruz, pároco da Matriz, também contribuiu para as obras cristãs. Sua principal característica foi a liderança espiritual. Lutou com perseverança, por melhorias na comunidade: criou o Centro Pastoral Sal da Terra, onde funcionava o antigo dispensário, ocupado pelas freiras do Bom conselho, restaurou a Igreja Matriz, conservando o patrimônio cultural e artístico, criou a campanha do alimento, o encontro de casais, a Escola da Fé, sempre ajudando todos, sem medir esforços. Faleceu em 2009. O Padre Ricardo Dias, destacou ainda que a Paróquia Nossa Senhora do Amparo vem sendo restaurada, tudo é feito com a ajuda da comunidade. Para conhecer mais sobre o museu, ligue para a paróquia no telefone: (21) 2637-2111.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *