Mulheres são presas acusadas de golpes contra idosos em São Gonçalo

Cinco mulheres foram presas na última quarta-feira (3), acusadas de estelionato contra idosos, no Centro de São Gonçalo. Durante a ação, policiais ainda impediram que outras vítimas caíssem no golpe. A investigação apontou que o grupo trabalhava até mesmo com sistema de metas, tendo lucrado, em um mês, cerca de R$ 420 mil.

A ação foi coordenada pela 72ª DP (São Gonçalo). A delegacia apurou que as presas fazem parte de uma associação criminosa que realiza empréstimos fraudulentos contra vítimas, principalmente, pessoas idosas, aposentadas e pensionistas do INSS. O delegado Edézio Ramos, titular da distrital, deu detalhes sobre as prisões.

“O trabalho de investigação perdurou por cerca de três meses, resultando na obtenção de um mandado judicial de busca e apreensão, em um escritório localizado no Centro Empresarial de São Gonçalo. Durante o cumprimento da medida os policiais flagraram quatro idosos prestes a serem ludibriados pelo grupo”, disse o delegado.

As presas foram identificadas como Eduarda Moreira Santos, de 20 anos; Daniele Oliveira Freitas, de 26; Kamilla da Silva Cardoso, de 24; Ludmilla da Silveira Rosa, de 20; e Izabella Fogaça Cardoso, de 35. De acordo com a polícia, em depoimento elas limitaram-se a dizer que “trabalhavam licitamente”.

Ainda de acordo com a polícia, a empresa possui acesso a um sistema de cadastro que identifica pessoas que, em algum momento de suas vidas, contraíram algum tipo de empréstimo. A partir daí entram em contato com as vítimas e, de maneira fraudulenta, mencionam a existência de alguma pendência bancária, que caso não seja resolvida, ocasionaria uma perda financeira.

Dessa forma, as vítimas são convencidas a comparecem ao escritório onde o golpe é concretizado, uma vez que é realizado um empréstimo financeiro sem consentimento delas. A ação policial resultou na apreensão de computadores, aparelhos de telefones celulares, diversos contratos, um “script” de orientação de como o golpista deve proceder para ludibriar a vítima.

A reportagem não conseguiu localizar a defesa das pessoas citadas no texto. Caso haja interesse em se manifestar, o espaço permanece aberto.

Metas e quadro motivacional

Durante as buscas, os policiais também encontraram m quadro motivacional de “batimento de metais mensais”, demonstrando que no último mês, o grupo criminoso bateu a meta atingindo a quantia de aproximadamente R$ 420 mil. As investigações prosseguirão, a fim de analisar todo material apreendido, visando a identificação de outros integrantes da associação criminosa.

Casos aumentaram mais de 150%

Desde o início da pandemia da Covid-19, em 2020, crimes de estelionato dispararam. De acordo com dados mais recentes do Instituto de Segurança Pública (ISP), no primeiro semestre de 2022 foram registradas 1.899 ocorrências do tipo contra 746 no mesmo período, no ano anterior. Isto representa alta de 154,6%.

Em relação ao mês de junho, o crescimento superou a média semestral. Neste ano, o mês fechou com 314 registros, enquanto em junho de 2021 foram contabilizados 120 casos. Isto representa aumento de 161,7%.