Mulher faz protesto sobre a violência doméstica na Ponte Rio Niterói

Na tarde da última quinta-feira (14), uma mulher identificada como Regina Maria Evaristo, de 56 anos, chamou a atenção de quem passava pela Ponte Rio Niterói. A mulher que parou a ponte, usou o ato como forma de protesto a violência doméstica. 

Regina é advogada, moradora do Grajaú e vem sendo perseguida pelo ex-companheiro desde 2016. A mulher já sofreu agressões dentro de casa. 

A vítima chegou a buscar ajuda na Delegacia de Atendimento à Mulher (DEAM) e na OAB, mas como não teve o resultado que esperava, ela usou a Ponte Rio Niterói como protesto e alertou a todos sobre o que centenas de mulheres sofrem diariamente. 

Regina não foi a única mulher a sofrer violências do ex-companheiro. Ela contou que a atual companheira dele também vem sofrendo agressões e na última segunda-feira (11), a advogada fez a renovação da medida protetiva contra o ex-companheiro, mas as ameaças de morte continuam. 

“Ele me agrediu em 2016, me persegue até hoje. Agrediu a atual mulher no final do ano passado. Foi denunciado, é alcoólatra e está furioso. Já procurei a ajuda da OAB, da Defensoria Pública, do Ministério Público e da DEAM, mas não consigo um apoio efetivo. Meu medo é morrer, já que ele diz que vai me matar”, disse Regina.