Mulher era fornecedora de drogas do Morro do Estado

Augusto Aguiar –

As cargas de drogas vendidas por traficantes do Morro do Estado, no Centro, eram embaladas e trazidas prontas, de Itaboraí, a cerca de 25 quilômetros de distância de Niterói. Por trás desse esquema, que também tinha por objetivo dificultar a ação da polícia, estava uma mulher identificada como Michelli Rodrigues dos Santos, de 30 anos, conhecida como Chelse, apontada como “abastecedora” do tráfico no Morro do Estado. Depois de dar continuidade a um minucioso trabalho de levamento, que prosseguiu ao longo da semana, na manhã de sexta-feira (06), a equipe de investigação da 76ª DP (Centro), coordenada pelo titular da distrital, delegado Gláucio Paz, se deslocou até o bairro de Manilha (Itaboraí), onde numa residência cumpriu Mandado de Prisão contra Michelli junto a Vanessa Silva Bastos, de 23 anos. Escondido embaixo de um colchão a polícia encontrou e apreendeu grande quantidade de drogas, entre cocaína (embalada em pinos e pasta base), além de rádios transmissores.

“O tráfico embalava a droga fora da comunidade, em Itaboraí, para dificultar as ações policiais. Encontramos farta quantidade de drogas embaixo do colchão e elas seriam trazidas para serem comercializadas no Morro do Estado. O líder do tráfico do Morro do Estado, controlado pela facção TCP, de acordo com fotos divulgadas recentemente pelo site Procurados é conhecido como Cicatriz (Edmilson da Conceição, 29 anos). Vanessa confessou que ajudava Michelle no transporte da droga”, explicou Gláucio Paz, acrescentando que contra Michelli havia Mandado de Prisão expedido pela 4ª Vara Criminal de Niterói pelo crime de tráfico. Na noite de quinta-feira, a polícia já havia prendido no Morro do Estado, Daniel Alves de Carvalho, vulgo Sniper. Na noite de terça-feira, ainda com foco no Morro do Estado, a equipe da 76ª DP junto com a 77ª DP (Icaraí) prenderam José Wellington Pereira Custódio da Silva, de 18 anos, vulgo Da Redley. Os policiais receberam um informe com a localização do acusado e diligenciaram e surpreenderam o acusado, com drogas. Aos policiais ele confessou que receberia R$ 250 por semana para atuar na venda de drogas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 + dezessete =