Mulher com câncer luta por vaga em hospital especializado

“A situação está muito grave. A infecção urinária da minha mãe está muito séria. Eu preciso de atendimento oncológico para ela”. Esse é o depoimento desesperado da manicure Camila das Graças dos Santos de 33 anos, que está acompanhando a mãe internada no Hospital Estadual Prefeito João Batista Caffaro, em Itaboraí, desde o último dia 09. A jovem pede ajuda para que algum médico especializado em câncer atenda e opere sua mãe, a camareira Maria de Fátima dos Santos de 53 anos.

Maria foi diagnosticada com câncer do colo do útero de maneira inesperada e os exames mostram que a situação da moradora de Boaçu, em São Gonçalo, é grave. Ela está inserida na fila para atendimento oncológico mas Maria luta contra o tempo. A camareira estava internada na UPA do Colubandê desde o dia 6 de maio e depois foi transferida para o hospital de Itaboraí.

Camila das Graças dos Santos na frente do hospital com os exames da mãe. Foto: Arquivo pessoal

“Ela deu entrada diversas vezes na UPA. Enquanto aguardava a vaga para o ambulatório eu liguei para a regulação e fui pessoalmente a diversos locais. Minha mãe ainda não teve algum atendimento por um médico oncologista, e está morrendo por falta desse atendimento”, contou Camila.

A idosa está no corredor da unidade hospitalar e, segundo Camila, a infecção urinária é grave. “Ela pode ter uma trombose e eu preciso transferir ela para algum hospital que tenha tratamento especializado. Onde ela está, não tem. Fui no plantão judiciário da Praça XV com o laudo que a médica expediu, mas como ela não citou o médico correto eles não puderam fazer nada”, lamentou.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) foi questionada sobre o caso relatado nessa reportagem, mas ainda não se manifestou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.